Mundo Operário

ELETROBRAS

Eletrobras reabre prazo do plano de demissões querendo demitir ainda mais trabalhadores

O presidente da Eletrobras reabriu o prazo do plano de demissões voluntárias a partir dessa segunda até dia 26 de Outubro com a intenção de demitir até 2.500 trabalhadores da estatal.

segunda-feira 15 de outubro| Edição do dia

Os trabalhadores da Eletrobras, que tenham mais de 10 anos na empresa, tem até dia 26 para aderirem ao chamado Plano de Demissão Consensual

Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras reabriu nesta segunda-feira o Plano de Demissão Consensual com o objetivo de demitir 2.500 trabalhadores até o final do ano. Já haviam sido demitidos cerca de 736 trabalhadores; e essa medida visa cortar pela metade os trabalhadores que antes eram aproximadamente 24mil.

São centenas de famílias que ficarão à mercê da crise econômica com o único objetivo de garantir o lucro dos capitalistas e facilitar a privatização da estatal. Foram esses mesmos trabalhadores que entraram em greve para combater a privatização em junho.

As privatizações surgem para descarregar a crise nas costas da classe trabalhadores e garantir o lucro dos imperialistas. Uma das medidas mais nefastas do governo golpista de Temer e que promete ser aprofundada pelo reacionário candidato à presidência Bolsonaro: coagir os trabalhadores à pedirem demissão para enxugar o máximo possível os “gastos” com os encargos trabalhistas e podem aprofundar o arrocho salarial que prometem.

A força que foi demonstrada na greve ser intensificada para barrar as demissões e a privatização com a construção de um comitê massivo capaz de enfrentar essa política entreguista. Que tenha um programa que levante a estatização completa da Eletrobras, sob gestão dos trabalhadores e controle popular, para que de fato possa ser gerida em benefício dos trabalhadores e do povo pobre, controlando os reajustes da energia, garantindo preço justo e acessível à toda população e não precarizando os postos de trabalho.




Tópicos relacionados

precarização   /    Eletrobrás   /    Demissões   /    Privatização   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar