Mundo Operário

ELETROBRÁS

Eletrobrás anuncia demissão de terceirizados em Furnas, e quer jogar 1.041 famílias na rua

A empresa Furnas, principal subsidiária da Eletrobrás, anunciou que pretende demitir 1.041 trabalhadores terceirizados. Com a absurda justificativa de cortes de gastos, jogarão mais de mil famílias na rua

quarta-feira 16 de outubro| Edição do dia

A Eletrobrás, uma das principais estatais na lista de privatizações do ultra liberal Paulo Guedes, anunciou que ira demitir 1.041 terceirizados em Furnas, com o nefasto objetivo de diminuir os gastos e facilitar a privatização da estatal.

A estatal é alvo do projeto de privatização desde o Governo Temer, e com Bolsonaro e Paulo Guedes a sede de entrega dos recursos nacionais só aumentou.

Jogando mais de mil famílias na rua, aumentando o desemprego, o governo irá diminuir os custos da empresa, o que no olhar de empresários e investidores, melhora as condições de lucro da empresa, e favorecem os investidores estrangeiros que irão comprar a empresa com menos custos. Uma expressão da sede de lucro que sempre está a frente da vida de milhares de trabalhadores para os capitalistas.

Segundo informações da Agência Estado, o custo deste ataque brutal aos terceirizados da empresa será de R$ 437 milhões. Furnas é uma produtora é energia localizada no RJ, e é a maior subsidiária da Eletrobrás. O acordo que prevê as demissões dos terceirizados foi firmado entre Furnas, Ministério Público do Trabalho e Federação Nacional dos Urbanitários.

A privatização é um dos maiores desejos desse governo, e vai ter como consequência novas demissões no futuro, além de precarização das condições de trabalho, e dos próprios serviços destas empresas.

Com relação à própria Eletrobrás, até o final de 2018 já haviam sido vendidas cinco distribuidoras da empresa A primeira distribuidora a ser vendida foi a Cepisa, para a empresa ligada ao imperialismo norte-americano Equatorial Energia. Depois, as distribuidoras Eletroacre, Ceron e Boa Vista Energia foram vendidas em um único leilão, as duas primeiras para a empresa Energisa. A sexta a ser privatizada é a Companhia Energética de Alagoas (Ceal), que já tem venda marcada para o dia 19 de dezembro.

Além disso, neste ano o governo Bolsonaro avançou, conseguindo o anúncio no último dia 11 de outubro do segundo Plano de Demissão Consensual (PDC) do ano, que demitirá 1.681 trabalhadores da estatal, aprofundando a precarização da empresa, e chegando cada vez mais próximo da privatização de uma das estatais mais centrais do país.

Nós do Esqurda Diário repudiamos profundamente a privatização, e denunciamos aqui este ataque brutal aos terceirizados de Furnas.

Abaixo às demissões! Nenhuma família na rua!




Tópicos relacionados

Paulo Guedes   /    Trabalhadores   /    Eletrobrás   /    Terceirização   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar