Política

OLIMPÍADAS

Eduardo Paes gasta 233 milhões com obras sem licitação para as Olimpíadas

Na contagem regressiva para o início das Olimpíadas, a prefeitura do Rio de Janeiro firmou 12 contratos sem licitação somando R$ 233 milhões. A maior parte dos contratos é referente a contratações emergenciais de empreiteiras para terminar obras como as arenas que estão atrasadas. Além da construção de casas de moradores da Vila Autódromo, que foram removidos da área, mas se manterão próximo ao Parque Olímpico.

Carolina Cacau

Foi candidata a vereadora do MRT em 2016, é estudante da UERJ e professora da rede estadual.

sexta-feira 29 de julho de 2016| Edição do dia

A justificativa da prefeitura é que todas as contratações sem concorrência respeitaram a lei de licitações que prevê algumas exceções. Segundo a Riourbe, empresa Olímpica municipal, os acordos foram firmados por conta da mudança no planejamento.

Para a prefeitura, as construtoras que haviam ganhado a licitação não cumpriram o prazo e por isso os contratos foram rescindidos. Foram contratadas sem licitação empreiteiras para concluir as obras dos centros olímpicos de Tênis e Hipismo e do Velódromo.

Mais uma vez a prefeitura gasta dinheiro público com empresas de “amigos” fazendo a farra da corrupção com o dinheiro que deveria ser investido na saúde, educação e transporte. O legado das Olimpíadas para a juventude e a classe trabalhadora do Rio de Janeiro, em meio uma crise, está sendo a precarização do trabalho, saúde, educação, remoções, repressão, enquanto enche o bolso dos empresários e políticos de dinheiro através de corrupção e contratos sem nenhum controle.

Entre as contratadas estão duas empresas ligadas à família de André Lazaroni, líder do PMDB na Alerj, e as empresas Engetécnica e Zadar pertencem a Paulo Roberto Moraes, pai do correligionário do Eduardo Paes. O Ministério Público do Rio está investigando as contratações enquanto eles negam qualquer interferência política.

Vejam o nome das empresas que estão no acordo:

Contrutora Zadar
Obra: conclusão do Centro de Hipismo
Valor: R$ 66,1 milhões

Volume Construções e Participações
Obra: conclusão do Centro de Tênis
Valor: R$ 63,4 milhões

Engetécnica Serviços e Construções
Obra: conclusão do Velódromo
Valor: R$ 63,4 milhões

Tensor Empreendimentos
Obra: conclusão da Vila dos Tratadores do Centro de Hipismo
Valor: R$ 28,1 milhões

Fagga Promoções de Eventos
Obra: planejamento, montagem e desmontagem de arquibancadas do Centro de Tênis
Valor: R$ 7,8 milhões

Jam Engenharia
Obra: fornecimento de energia para as Arenas Cariocas
Valor: R$ 4,8 milhões

M. Rocha Engenharia
Obra: construção de 20 casas na Vila Autódromo
Valor: R$ 3,3 milhões




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar