Política

Eduardo Leite sensato? Fala pela vida mas age pelos empresários contra a quarentena

Ontem (6), Eduardo Leite participou do programa Atualidade da Rede Pampa. A repórter Roberta Colto, claramente bolsonarista, fez uma fala contra a quarentena e levou uma resposta dura do governador. No entanto, enquanto fala em favor da vida Eduardo Leite flexibiliza cada vez mais a quarentena reabrindo o comércio para defender os interesses dos seus parceiros empresários.

sexta-feira 8 de maio| Edição do dia

Eduardo Leite diante do absurdo discurso bolsonarista parace sensato, não exitou em chamar a repórter de ignorante que despreza a vida, já que não há como ignorar o que ocorre no Brasil e no mundo por conta da pandemia de coronavírus. Porém o governador do RS é um hipócrita, porque não garante a testagem massiva da população e reabre parte do comércio para atender aos interesses dos capitalistas.

Não há como deixar de expor que é o mesmo Eduardo Leite que, demagogo, flexibiliza a quarentena para reabrir parte do comércio e assim garantir os lucros dos empresários num cenário em que ainda não chegamos ao colapso dos sistemas de saúde, porém estamos vendo um aumento de 600% de mortos por síndrome respiratória aguda comparado com o mesmo período do ano passado. No ano passado faleceram 37 pessoas por síndrome respiratória aguda até maio, em 2020 já foram 260 pessoas, apenas 90 destas notificadas com COVID-19. Isso mostra a política consciente do governo Leite de esconder os números, de não garantir testes suficientes, subnotificando a maior parte dos casos.

O nome de Eduardo Leite atingiu os trend topics do twitter, inclusive com muitos compartilhamentos elogiosos por parte de páginas de esquerda petistas. Como se não fosse o mesmo governador que rasgou a constituição mantendo o corte do ponto da greve do magistério recentemente, parcelando e mantendo os salários congelados com uma defasagem de mais de 100%. Como se não fosse o mesmo Eduardo Leite que acabou com o plano de carreira dos professores e criou alíquotas absurdas para os aposentados. E como se não fosse o governador que segue à risca o programa de “recuperação” fiscal terminando de privatizar a CEEE, a CRM e a Sul Gás, para colocar o povo trabalhador do RS de joelhos diante da fraudulenta dívida pública gaúcha com a União.

O boletim epidemiológico semanal, divulgado pelo próprio governo trouxe dados alarmantes sobre os surtos nos frigoríficos no norte do estado também. Empresas bilionárias como a BRF (Perdigão/Sadia), a Aurora e a JBS que continuam operando com capacidade máxima contando com 240 casos notificados de coronavírus na região. Sendo que apenas uma unidade da JBS foi interditada na cidade de Passo Fundo até agora. Eduardo Leite é responsável pela situação no norte do Estado, já que não tomou nenhuma medida com relação a situação dos frigoríficos, mostrando que está do lado dos empresários e seus lucros e não das vidas dos trabalhadores.

Que Eduardo Leite se diferencie de Bolsonaro é o mínimo que se pode esperar de qualquer político com sanidade mental que não queira ser taxado de genocida. O governador do RS se posiciona assim na mídia poque teme perder popularidade, sabe que a maior parte da população não é louca e nem burra a ponto de ser contra a quarentena. Mas sua política concreta sempre foi contra os trabalhadores.

A partir dessa diferenciação nas palavras deixar de apontar toda sua política concreta, que só favorece aos capitalistas, e o seu descaso com a vida mantendo os lucros dos grandes empresários bem como suas grandes fortunas intactas enquanto o vírus se espalha entre os mais pobres, massacrados por pacotes de leis propostas pelo mesmo Eduardo Leite e aprovadas pelos deputados, como é o caso dos educadores gaúchos, é no mínimo também “ignorância porque ignora”.

A "sensatez" das palavras de Eduardo Leite tentando se diferenciar dos absurdos defendidos por Bolsoaro, não consegue esconder o que os dois tem em comum: ambos governam para os capitalistas e não se acanham em nenhum momento quando precisam atacar a classe trabalhadora.




Tópicos relacionados

Eduardo Leite   /    Porto Alegre   /    Política

Comentários

Comentar