Política

GOVERNO BOLSONARO

Eduardo Bolsonaro é indicado para embaixador dos EUA em um gesto de servilismo a Trump

Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira que decidiu indicar o filho Eduardo Bolsonaro como embaixador do Brasil nos Estados Unidos.

quinta-feira 11 de julho| Edição do dia

A informação supostamente vazada foi confirmada durante uma entrevista pública com o presidente mas ainda não é oficial, embora o filho indicado tenha confirmado que recebeu o convite. O assunto já foi encaminhado ao Ministério da Defesa que por sua vez já fez contato com os Estados Unidos, mas além de formalizar a indicação a decisão precisa ser aprovada pelo Senado.

O cargo provavelmente já estava sendo preparado para Eduardo, que acabou de fazer 35 anos, idade mínima para receber a atribuição. Bolsonaro mesmo alegou que já vinha cogitando a possibilidade desde antes. Além disto foi Eduardo quem avalizou a indicação, feita por Olavo de Carvalho, guru obscurantista do clã, do diplomata Ernesto Araújo para o posto de chanceler. Desde então ambos têm trabalhado em dupla junto com o deputado à frente da Comissão de Defesa e Relações Exteriores da Câmara. No Itamaraty chegam a chamar Eduardo de "chanceler sombra". Diga-se de passagem, Eduardo participou do encontro privado de Jair Bolsonaro a Trump em março,enquanto Ernesto ficou de fora.

Trata-se de mais um ato digno de um clã servil ao imperialismo norte americano, oferecendo o filho para ser o canal direto de comunicação com Trump. As intenções de alinhamento ao governo imperialista, mais uma vez, nem sequer são disfarçadas por Jair Bolsonaro ao citar as “qualidades” que motivou a indicação: “Ele é amigo dos filhos do Donald Trump, fala inglês e espanhol”.

O gesto de servilismo do clã Bolsonaro a trump é mais um movimento, não apenas simbólico, mas também operacional no caminho do servilismo do Brasil para com os EUA. Eduardo, com todo seu arcabouço ideológico de extrema direita fascistóide, sempre foi um defensor declarado das políticas imperialistas dos EUA, e em especial de Trump, pelo mundo, seja tirado foto usando um boné pedindo a reeleição de Trump em 2020, mas também defendendo o estado de Israel e a intervenção imperialista no Oriente Médio. Eduardo Bolsonaro ainda disse que o novo chefe da delegação brasileira em Washington precisa ser "um amigo dos Estados Unidos.", ou seja, um verdadeiro inimigo de todo povo dos países semicoloniais como o Brasil.




Tópicos relacionados

Eduardo Bolsonaro   /    Governo Bolsonaro   /    Imperialismo   /    Política

Comentários

Comentar