Internacional

CORONAVÍRUS

EUA racista quer tirar os trabalhadores da saúde do Haiti

Os EUA adotaram uma postura extremamente racista com o povo haitiano, através de sua embaixada e consulado convocaram trabalhadores da saúde haitianos em troca de um visto de trabalho norte americano. Tiram os médicos de seu território e com isso deixam o povo haitiano com menos acesso ao tratamento do Covid-19.

sexta-feira 10 de abril| Edição do dia

Desde o início dessa semana o governo haitiano anunciou que entrou em fase de transmissão comunitárias do novo coronavírus, os números do dia 8 deste mês confirmavam 24 casos e 257 suspeitos, o governo decretou o fechamento das fronteiras com a República Dominicana e já havia suspendido os voos comerciais com os países afetados pelo covid-19 desde o dia 15 de Março, como os Estados Unidos. A República Dominicana já tinha 1.828 casos confirmados e 86 mortes e o governo dominicano já anunciou medidas autoritárias como toques de recolher para conter a propagação do vírus.

Até o dia de hoje novos casos serão confirmados, a crise aberta com essa pandemia abriu um cenário de calamidade bastante profundo principalmente em países que precárias condições sanitárias e de saúde pública como Haiti, mas também como o Brasil onde estima-se que os trabalhadores que moram em favelas e periferias já estão sendo os mais atingidos pelo novo coronavírus. Os EUA por sua vez adotaram uma postura extremamente racista com o povo haitiano, através de sua embaixada e consulado convocaram trabalhadores da saúde haitianos principalmente aqueles aptos a lidarem com tratamento e mitigação do covid-19 em troca de um visto de trabalho norte americano.

Uma política imperialista racista que quer colocar o povo haitiano ainda mais desarmado para enfrentar o novo coronavírus, retirando seus profissionais de saúde de seu território no momento em que os trabalhadores necessitam ainda mais de ajuda, justamente o Haiti que possui apenas 90 leitos de UTI para uma população de 10 milhões de habitantes. Para o imperialismo norte americano a vida dos haitianos não vale nada, Trump se vale de sua posição estratégica frente a países como Haiti e Brasil para roubar seus respiradores e trabalhadores da saúde o que aprofunda ainda mais a crise sanitária e econômica nesses países.

Apenas uma política de testagem massiva pode contornar essa situação, diminuindo o número de contágios, estabelecendo assim quarentenas e isolamentos eficientes, e em países como Brasil e Haiti que há problemas graves de saneamento e habitação, expropriando hotéis e resorts para que essas populações caso queiram fazer quarentena nesses locais assim possam se desejarem.

Repudiamos essa política imperialista de literalmente roubar as poucas e principais ferramentas de combate ao vírus que o Haiti tem (principalmente quando comparado com o país mais rico do mundo) que são seus trabalhadores da saúde, verdadeiros guerreiros que estão na linha de frente tratando o povo haitiano. Um roubo que começa com a dívida pública que entrega de bandeja milhões e milhões para imperialistas norte americanos, uma dívida que suga nossas riquezas e que tem o aval de políticos como Bolsonaro e Mandetta no Brasil.

Faça parte dos Comitês Virtuais do Esquerda Diário!
Contato / WhatsApp / Signal / Telegram: +55 11 97750-9596
E-mail: [email protected]

Contribua com o Esquerda Diário!

Siga o Esquerda Diário nas redes sociais!
Youtube: Esquerda Diário
Instagram: @EsquerdaDiarioOficial
Twitter: @EsquerdaDiario
Facebook: Esquerda Diário




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    Haiti   /    Imperialismo   /    Racismo EUA   /    Internacional

Comentários

Comentar