Internacional

ATO INTERNACIONALISTA DA FRAÇÃO TROTSKISTA

EUA: Tre Kwon mostra as várias frentes da luta dos trabalhadores

Tre Kwon é uma enfermeira de ascendência coreana e militante socialista do Left Voice (portal norte-americano da rede internacional La Izquierda Diario). Ela discursou hoje no ato virtual internacional do 1º de Maio chamado pela Fração Trotskista – IV Internacional. Seu discurso partiu de uma denúncia emocionante do imperialismo dos EUA, partindo do relato da migração de sua mãe que viveu a Guerra da Coréia

sexta-feira 1º de maio| Edição do dia

Tre Kwon é uma enfermeira de ascendência coreana e militante socialista do Left Voice (portal norte-americano da rede internacional La Izquierda Diario). Ela discursou hoje no ato virtual internacional do 1º de Maio chamado pela Fração Trotskista – IV Internacional. Seu discurso partiu de uma denúncia emocionante do imperialismo dos EUA, partindo do relato da migração de sua mãe que viveu a Guerra da Coréia:

“Minha mãe nasceu na Coréia durante a Guerra da Coréia [do Sul],
que ceifou 5 milhões de vidas. Foi o campo de batalha onde a
OTAN desenvolveu suas primeiras forças internacionais e
estratégias. A juventude dela foi marcada pela ditadura militar,
toque de recolher, a proibição de andar de mãos dadas com garotos
e só comer carne vermelha nos aniversários. Quando tinha 23 anos,
ela migrou para Nova York, onde conseguiu seu primeiro emprego
como doméstica. Hoje em dia, minha mãe é enfermeira e trabalha
em um hospital, cuidando de pacientes de COVID-19, como eu. Ela
não pode se aposentar ou se demitir para proteger sua própria vida
por que ela depende do emprego.”

Tre Kwon também denunciou as condições precárias que ela vive
cotidianamente na linha de frente de combate à pandemia do
coronavírus em Nova Iorque, o maior centro da crise sanitária nos
EUA. Tre Kown mostra que “a crise da pandemia está rapidamente
evoluindo para uma catástrofe em várias frentes” :

“Estamos enfrentando uma depressão econômica enorme e muitos meses de incerteza à frente. Aqui, no coração do imperialismo americano, a classe trabalhadora e os oprimidos estão sofrendo o pior da crise.”

A forma desastrosa que o governo Trump tratou a crise do
coronavírus - inicialmente subestimando a pandemia e depois
retrocedendo, mas sem realizar testes massivos e medidas para
uma quarentena racional - faz hoje o país ser o maior em número
de mortos por COVID-19. Trump também aproveita para reforçar
seu discurso xenofóbico e coloca sua política, mesmo num
momento de crise sanitária, a serviço de aprofundar a guerra
comercial EUA-China.

“O nacionalismo e o ‘America First’ de Trump e suas falas racistas no Twitter são combustível retórico por trás da culpabilização de imigrantes, do fechamento de fronteiras e do sentimento anti-China que tem crescido. Os Democratas também tem seu papel neste crescente antagonismo contra a China.”

“Os dois partidos concordam que a opressão imperialista deve continuar. Eles estão ampliando operações militares na América Latina. As sanções contra o Irã persistem. E o embargo assassino contra Cuba, bem como o bloqueio de equipamento médico que poderia salvar vidas, ainda continua.”

Essa intensificação do conflito internacional é produto de uma
tendência à crise econômica internacional, que neste ano se
aprofundou muito mais, inclusive com alguns analistas já prevendo
uma situação semelhante a crise de 1929. Tre Kwon alerta que os
trabalhadores não podem se iludir com a política de nenhum dos
dois grande partidos burgueses dos EUA, que tentarão aplicar
ajustes contra os trabalhadores independe do resultado das
eleições americanas que acontecem este ano.

Durante as prévias do partido democrata para as eleições, uma
grande parte da juventude estadunidense depositou suas
esperanças em Bernie Sanders, que capturou a crescente afeição
pelo socialismo em sua candidatura. Ter Kwon mostra que é
necessário, porém, que a esquerda rompa com o partido democrata
para construir um partido próprio por uma saída independente. Esta
saída deve estar aliada com os trabalhadores e não apostar numa
candidatura como de Joe Biden, candidato do establishment
democrata, como fez Sanders ao retirar-se da corrida. Para
responder a crise, Tre Kwon coloca:

“A classe trabalhadora precisa de uma representação política independente: nosso próprio partido que seja anti-capitalista e anti-imperialista até o fim!”




Tópicos relacionados

1 de Maio   /    Internacional

Comentários

Comentar