RACISMO

EUA: Joe Biden, tire o nome de Ahmaud Arbery da sua boca!

Joe Biden pediu justiça por Ahmaud Arbery, mas a sua carreira política racista e imperialista contribuiu diretamente para a morte de Arbery. Essa encenação flagrante e repugnante não é nada mais do que uma ferramenta política barata. Ele não merece dizer o nome de Arbery.

sexta-feira 8 de maio| Edição do dia

Um dos arquitetos do infame 1994 Crime Bill (um projeto de lei de 1994 para “controle de crimes violentos e aplicação da lei”), e atual candidato democrata às eleições presidenciais de 2020, Joe Biden, diz que exige justiça pelo linchamento de Ahmaud Arbery, que foi recentemente morto a tiros, durante uma corrida, por dois homens brancos racistas que ainda não foram acusados pelo seu assassinato. Sinceramente Joe, os negros não precisamos de sua postura política ofensiva e, especialmente, não precisamos de suas mentiras oportunistas que tentam cooptar e matar nosso movimento. O que precisamos é da destruição do Estado do qual você é um defensor, do fim do imperialismo do qual você é um líder e da dissolução do racismo estrutural e internacional do qual você é um facilitador.

A falsa simpatia e raiva de Joe Biden pelo linchamento de um homem negro de 25 anos de idade, Ahmaud Arbery, na Georgia, é uma piada de mau gosto com Ahmaud, sua família e amigos, e todas as vítimas do racismo estrutural que foram mortos ou mutilados física ou psicologicamente. Em ano eleitoral, é grotescamente óbvio o que Biden está fazendo: está difamando o nome de Arbery usando essa denúncia como uma ferramenta de postura política barata para ganhar os votos da população negra. Joe Biden sempre carregou o racismo estrutural e imperialista em seus ombros. Em Delaware, ele foi um político inflexível do anti-busing (ou seja, foi contra a política de disponibilizar ônibus para levar estudantes para escolas mais distantes e, assim, diminuir o desequilíbrio racial no sistema público de ensino norte-americano), mantendo posteriormente a segregação racial no final dos anos 70. Como resultado, muitas crianças negras de Delaware foram obrigadas a frequentar escolas sistematicamente privadas de recursos.

Nos anos 90, Joe Biden foi o autor e desenvolveu a 1994 Crime Bill, uma das leis mais racistas já aprovadas pelo governo federal, que implementou políticas mais severas e os três programas de greve que, é claro, impactou desproporcionalmente a classe trabalhadora e os negros pobres. Isso aumentou exponencialmente o já incomparável estado carcerário dos EUA, que está lotado e segue sendo continuamente cheio com negros. A aliança e simpatia de Biden nunca estiveram presentes quando nossos irmãos e irmãs ficaram presos em ciclos de pobreza e encarceramento.

Biden nunca foi um aliado do povo negro norte-americano e dos grupos marginalizados em todo o mundo. Ele sempre foi um antagonista. Ele votou a favor da guerra imperialista no Iraque, que matou cerca de meio milhão e civis iraquianos. Sob o governo de Barack Obama, ele deportou um recorde de 3 milhões de pessoas dos Estados Unidos. E sob o mesmo governo, ele bombardeou civis e crianças no sul da Ásia, no Oriente Médio e na África.

Joe Biden nunca se esquivou do racismo durante toda a sua carreira política. Ele manteve um status quo imperialista e racista. Toda a sua carreira política contribuiu para a morte de Ahmaud Arbery. A postura de Biden não é bem-vinda e ele não deveria cuspir no túmulo de outra vítima de uma sociedade racista que ele ajudou a desenvolver.

Biden, tire o nome de Ahmaud Arbery da sua boca. Nunca o mencione novamente.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Donald Trump   /    [email protected]

Comentários

Comentar