SOLIDARIEDADE AO RIO GRANDE DO SUL

"É urgente uma forte campanha nacional em apoio as greves no Rio Grande do Sul", afirma Maíra Machado

quarta-feira 1º de novembro| Edição do dia

As greves no Rio Grande do Sul seguem com força, enfrentando os ataques de Sartori e Marchezan bem como os planos do governo golpista de Temer de descarregar a crise sobre as costas dos trabalhadores e da população pobre. Os professores votaram a continuidade da greve nesta semana. Maíra Machado, professora em Santo André e ex-diretora da APEOESP pela Oposição Alternativa comentou a situação no Rio Grande do Sul: "Diante de tantos ataques que estamos sofrendo nacionalmente é revigorante ver a força dos professores, trabalhadores da educação e das outras categorias que estão em lutando no Rio Grande do Sul. Minha opinião é que estes trabalhadores estão mostrando o caminho. Por isso é um verdadeiro crime que as grandes centrais sindicais como a CUT e CTB estejam boicotando a possibilidade de atos unificados e não estejam chamando uma campanha nacional".

Para Maíra uma agenda central de toda a esquerda agora seria girar suas forças em apoio as greves. "No Congresso da CSP-Conlutas a delegação de companheiros e companheiras do Movimento Nossa Classe deu uma grande batalha pra que uma orientação central do Congresso fosse organizar uma forte campanha pelo Rio Grande do Sul. Entretanto a CSP-Conlutas e grande parte da esquerda está simplesmente ignorando as lutas no Sul. Enorme erro! Se as greves no Sul vencerem, será um grande ponto de apoio pra enfrentar todas as reformas e ataques nacionalmente. Os parlamentares do PSOL, os movimentos sociais, as mídias de esquerda, todas as organizações políticas da classe trabalhadora precisam se unificar em um único grito: que os trabalhadores do Sul vençam! Precisamos furar o bloqueio da mídia, por isso o Esquerda Diário está se colocando a serviço completo das mobilizações, mas precisamos fazer uma enorme campanha de solidariedade em todo o país", comentou.




Comentários

Comentar