Política

LAVA JATO

É determinada prisão de Eduardo Cunha

quarta-feira 19 de outubro| Edição do dia

O ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, teve sua prisão preventiva decretada nesta terça-feira(18) pelo Juiz Sérgio Moro e executada nesta quarta-feira(19) pela Polícia Federal, como parte das investigações da Operação Lava Jato, comandada por Moro.

O processo de Cunha correu pela Justiça comum, devido à perda do mandato de Deputado Federal em setembro e do foro privilegiado, que permitiria que o político fosse julgado e processado pelo Supremo tribunal Federal (STF).


Mandato de prisão expedido contra Eduardo Cunha/Reprodução

O processo que foi transferido na 13ª Vara da Justiça Federal no Paraná, foi retomado por Moro na quinta-feira passada(13). Cunha é acusado de receber propina em um contrato de exploração de petróleo e de lavagem de dinheiro por meio de contas na Suíça.

Eduardo Cunha já tinha sido réu na Lava-Jato pela primeira vez em março deste ano, sob acusação de exigência de propina em uma negociação envolvendo a Petrobrás e já responde a uma ação civil de improbidade administrativa na Justiça Federal do Paraná, pelo mesmo motivo.

A prisão de Eduardo Cunha não deve servir como uma esperança de que medidas como a Lava-Jato sejam o fim da corrupção , pois, por trás de ações como esta prisão está a intenção de maquiar de imparcialidade a operação que, apesar de suficientes indícios, foi omissa com grandes empresas envolvidas nos esquemas de corrupção, como a japonesa Mitsui e com os políticos tucanos.




Tópicos relacionados

Operação Lava Jato   /    Política

Comentários

Comentar