Política

ELEIÇÕES 2018

“Dupla poderá revolucionar o País” diz a Janaína Paschoal sobre chapa com Bolsonaro

A advogada Janaína Paschoal (PSL) uma das autoras do golpe institucional no Brasil, mostrando que a sua intenção era colocar um governo que aplicasse ataques mais duros contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade, é avaliada para ser vice presidente da chapa de seu partido, cujo o candidato a presidência é o Jair Bolsonaro. Entretanto se mostrou esperançosa com o cenário, dizendo: “Se essa dupla acontecer será para revolucionar o País”.

quinta-feira 19 de julho| Edição do dia

Segundo Janaína, a forte personalidade de ambos é o fator que poderia revolucionar o Brasil. "Se essa dupla não consegue mudar o Brasil, ninguém consegue, são duas pessoas de personalidade muito forte. Não conheço ninguém que ame mais o Brasil do que eu. Para o País, seria algo significativo", disse a advogada. E informou que não tem prazo para a definição sobre ser ou não vice na chapa de Bolsonaro.

Não é novidade que a Janaína Paschoal atua fortemente contra o conjunto da classe trabalhadora, e se tratando do Bolsonaro o que seria revolucionar o País? A advogada Janaína após várias manifestações da população que estavam descontentes com o impeachment e se colocavam às ruas contra as políticas de ajustes do governo Temer, se manifestou de forma contrária dizendo que não tinha motivos contundentes para tirar Michel Temer da presidência, mesmo com a implementação da PEC 55, a reforma do ensino médio, a reforma trabalhista, a lei de terceirização, a votação que está em curso sobre a reforma da previdência, e o mesmo ter sido citado nas denúncias da Odebrecht. Que amor será esse pelo Brasil? Que suga a vida da população em detrimento do lucro dos capitalistas???

Janaína, agora segue com suas medidas golpistas fortalecendo a candidatura do Bolsonaro uma figura de extrema direita, que todos os dias despeja seu discurso conservador e reacionário, atacando os setores oprimidos da sociedade, perpetuando cada vez mais discursos racistas, machistas, LGBTfóbicos, e misóginos. Além disso, também saiu em defesa da política racista e xenófoba de enjaular crianças e separar famílias imigrantes adotada por Donald Trump nos Estados Unidos. Inclusive é a favor da intervenção federal no Rio de Janeiro que é um verdadeiro genocídio da população pobre e negra.

Na entrevista, Janaína disse que não conhece Bolsonaro pessoalmente e que falou com ele por telefone quando se filiou ao PSL. Ela ainda conta que seu telefone não parou mais de tocar, com as pessoas pedindo para ela aceitar o convite para ser vice. "Que não ocorreu". Na sua opinião, Bolsonaro deve estar refletindo sobre. E para além insiste na ideia de que governará para o povo mesmo com todos os escândalos que envolve seu nome, como apoiar e defender medidas que precariza ainda mais a vida dos trabalhadores e da juventude e por último esse absurdo.

Questionada sobre a polarização política e a pulverização de candidaturas nas eleições 2018, a advogada avaliou que não há divisão de forças, mas perda da hegemonia da esquerda e mudanças positivas. "Antes eles falavam e todo mundo baixava a cabeça. Agora eles são questionados e não estão acostumados a isso. Outras forças tiveram forças para se levantar." Claramente que com a traição do PT que fez inúmeras alianças com a direita, e o golpe institucional e o fortalecimento do judiciário bonapartista e a traição das Centrais Sindicais que não organizam um plano de lutas para que os trabalhadores possam entrar em cena, deixa ainda mais escancarada a crise orgânica, e abre espaço para que figuras como o Bolsonaro que é extremamente reacionário que aplaude a ditadura militar se fortaleça na sociedade.

Trabalhadores e jovens precisam rechaçar Janaína Paschoal. Além disso, somente os trabalhadores em conjunto com demais setores populares da sociedade podem dar uma resposta para crise política e Econômica que o país está passando. Não ao pagamento da dívida pública. Precisamos romper com os interesses imperialistas e dos capitalistas não pagando essa dívida que é ilegítima, ilegal e fraudulenta, um verdadeiro saque nacional para que seja garantida as demandas populares. Sem nem uma confiança no judiciário e na direita golpista.




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Golpe institucional   /    Política

Comentários

Comentar