Internacional

CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO NOS EUA

Drogas, agressões e abusos: o horror dos alojamentos para crianças imigrantes nos EUA

Instituições privadas lucram milhões ao ano com contratos com o governo enquanto submetem as crianças a medicamentos pesados, agressões e abusos sexuais. O drama da distância da família é apenas a ponta do iceberg.

sábado 23 de junho| Edição do dia

Em reportagens investigativas divulgadas recentemente, a agência americana de jornalismo Reveal traz à tona toda a podridão do sistema de alojamentos para as crianças imigrantes que, além de serem forçadas a ficarem longe de suas famílias, são tratadas como animais pelas instituições que as alojam.

Através dos relatos de crianças, mães, advogados e psiquiatras uma realidade assustadora e revoltante é percebida.

O desespero das crianças imigrantes que também passaram por traumas em seus países e durante todo o processo de imigração, para além de serem separadas de seus pais, é tratado com ainda mais truculência e descaso. Crianças pequenas tristes, ansiosas e agitadas por estarem isoladas de suas famílias são imediatamente submetidas a avaliação psiquiátrica, onde muitas vezes são administradas em excesso várias drogas pesadas, incluindo medicamentos antipsicóticos, sedativos e psicoativos.

As drogas administradas deixam as crianças "tontas, desatentas, obesas e até incapacitadas". Uma menina relata que as drogas injetadas nela à força a impediram de andar normalmente, fazendo ela cair e se machucar, tendo que ficar por vezes em cadeiras de rodas. Outra criança diz que os funcionários ofereciam as pílulas dizendo que eram vitaminas, ou mesmo que se não tomasse as "vitaminas" não veria mais os pais. Para uma criança foi prescrita 10 medicamentos diferentes, incluindo remédios antipsicóticos, anticonvulsivos, analgésicos, antidepressivos, para tratamento cognitivo e até para mal de Parkinson! Essas informações foram trazidas por um psiquiatra, que a pedido da Reveal, analisou os registros médicos de várias instituições.

Uma mãe que teve a oportunidade de ver seu filho de 9 anos por uma vídeo chamada de WhatsApp pelo celular de um funcionário diz que "ele estava completamente hipnotizado e letárgico".

Em muitas instalações também pesam as denuncias de abusos sexuais contra menores, agressões físicas, tráfico de pornografia infantil e até assassinato.
Há anos essas condições vêm sendo denunciadas e provadas não apenas por relatos de jovens, pais, advogados e jornalistas, mas mesmo por órgãos oficiais de fiscalização como o departamento de saúde do Texas. Apesar disso, o governo federal, por meio do Escritório de Realojamento de Refugiados, tem mantido e renovado contratos multimilionários com essas instituições.

O caso mais absurdo é a respeito do Centro de Tratamento Shiloh, instituição privada de serviços de acompanhamento de menores e "tratamento" de distúrbios comportamentais, na qual alguns dos casos citados anteriormente se passaram. Essa instituição é figura carimbada de maltrato a menores, sendo inclusive prioridade em fiscalizações por seu histórico podre de violências e agressões físicas, drogas pesadas administradas em excesso e mortes de crianças menores em custódia. Os casos relatados são de uma jovem de 15 anos assassinada por asfixia em 2002 e um jovem de 16 anos morto em 2010 enquanto tinha sido trancado em um armário.

Desde 2013, Shiloh tem contrato com o governo federal para alojar crianças imigrantes em suas instalações, tendo recebido valores crescentes mesmo após as denuncias, que ao longo desses anos já somam cerca de 19 milhões de dólares, sendo o contrato mais lucrativo o do ano passado, já sob Trump, de 5,6 milhões de dólares.

Nos últimos 4 anos, os governos de Obama e Trump destinaram cerca de 3,4 bilhões de dólares pra essas instituições privadas que lucram com o sofrimento de milhares de crianças imigrantes há anos. E quase metade desse valor, 1,5 bilhões de dólares, para instituições que sofrem acusações de irregularidades, maltratos e abusos. O governo justifica esses contratos citando a superlotação dos alojamentos, mas o próprio governo cria essa superlotação proibindo os imigrantes de se estabelecerem no país, situação que piora com a política de separar pais e filhos e mais recentemente com a política de “tolerância zero” de Trump.

Mais de duas mil crianças se encontram em tal situação

É um verdadeiro nicho empresarial extremamente lucrativo baseado no alojamento e "acompanhamento" precário de jovens, mesmo organizações que se declaram sem fins lucrativos são investigadas por uso e apropriação indevida dos recursos destinados.

E de mais de 70 instituições financiadas pelo governo, apenas duas das cerca de 40 denunciadas não tiveram seu contrato renovado, mantendo o funcionamento e os lucros dessa indústria do sofrimento. Inclusive, sob o governo Trump, esse ano foi repactuado um contrato com uma empresa que tinha sido fechada ano passado por uma condenação de abuso sexual envolvendo funcionários e jovens alojados, a instituição voltou ao ramo com outro nome.

A prática de mudar o nome das instituições é frequente para manter o funcionamento mesmo após escândalos.

É abismal a capacidade do capitalismo de lucrar com o sofrimento da humanidade.
O imperialismo americano capitaliza o caos que ele mesmo gera. Seja relegando os países latino-americanos a uma realidade de miséria, com o saque de recursos através da atuação de empresas americanas nesses países e com o criminoso mecanismo das dívidas públicas. Ou com suas guerras no oriente médio matando milhares enquanto lucra extraindo o petróleo árabe e fazendo girar sua economia armamentista bélica.

E quando toda a desgraça citada acima tem como consequência a crise migratória, os capitalistas dão um jeito de lucrar também com isso, recebendo financiamentos milionários para alojar de forma sub-humana os jovens imigrantes.

Ninguém é ilegal! Liberdade imediata para os imigrantes com ou sem documentos!
Esse sistema que mata, explora, oprime e gera sofrimentos indescritíveis merece destruído. Que todos que se indignam com essa realidade se ponham a serviço de um futuro livre desses horrores, que a classe trabalhadora ponha abaixo esses capitalistas e imperialistas que lucram com o sangue e o sofrimento dos trabalhadores, trabalhadoras e crianças!




Tópicos relacionados

Imperialismo   /    Donald Trump   /    Imigração   /    Internacional

Comentários

Comentar