GOLPE MILITAR DE 1964

Dossiê Porões da Ditadura: "Não esquecemos e não perdoamos!"

Nós, do Esquerda Diário e do MRT, repudiamos as homenagens grotescas ao golpe de 64 por parte daqueles que não conseguem disfarçar seus sonhos de revivê-lo hoje, como fizeram Mourão e o ministro da Defesa, Azevedo e Silva.

terça-feira 31 de março| Edição do dia

Hoje é data do reacionário Golpe de Estado orquestrado pelos militares, que serviu para reprimir na época os movimentos de trabalhadores e camponeses e garantir a subordinação completa do país aos interesses imperialistas dos norte-americanos. Os militares cumpriram o nada grandioso papel de garantir os interesses de grandes patronais para explorar os trabalhadores através do assassinato e tortura de trabalhadores e opositores, de idosos à crianças.

Nós, do Esquerda Diário e do MRT, repudiamos as homenagens grotescas ao golpe de 64 por parte daqueles que não conseguem disfarçar seus sonhos de revivê-lo hoje, como fizeram Mourão e o ministro da Defesa, Azevedo e Silva.

Não esquecemos e não perdoamos! A impunidade dos torturadores de ontem vive hoje na repressão e no avanço do autoritarismo. Lutamos pela revogação da Lei da Anistia de 1979 e pelo julgamento e punição de todos os responsáveis civis e militares pelos crimes da ditadura! É preciso arrancar do Estado a abertura irrestrita de todos os arquivos e documentos ocultos sobre os crimes da ditadura militar!

- 8 heranças da ditadura que fazem parte do que há de pior no país

- 10 frases de Bolsonaro defendendo a nefasta ditadura militar brasileira

- 10 escândalos de corrupção da ditadura militar abafado pelas Forças Armadas

- Bolsonaro encobre crimes da ditadura para que militares e torturadores continuem sem punição




Tópicos relacionados

Golpe de 1964   /    Abaixo a Comemoração do Golpe de 1964   /    Hamilton Mourão   /    Golpe militar

Comentários

Comentar