Política

DÓRIA

Dória tira sarro da população e posta vídeo malhando para anunciar nova academia do Palácio dos Bandeirantes

Em vídeo postado no YouTube no último domingo (02/08), João Dória aparece malhando e anuncia a construção de uma nova academia, custeada pelo setor privado, na sede do governo paulista.

segunda-feira 3 de agosto| Edição do dia

Enquanto milhares de pessoas seguem morrendo de coronavírus no estado de São Paulo, o governador João Dória mostra uma vez mais seu desprezo pela população. No seu vídeo, ele aparece utilizando diversas máquinas de academia de última geração e celebrando que aquela academia não tinha custado nada aos cofres públicos, ou seja, foi uma “doação” de alguma empresa privada. Dória diz ainda que a academia será aberta aos 1500 funcionários do Palácio dos Bandeirantes.

O governador diz que a atividade física faz muito bem para a saúde física e mental das pessoas, mas parece não lembrar que as academias são um dos ambientes mais propensos a disseminação do coronavírus em um momento como o atual. O nobre governador também parece esquecer que receber salário é algo que costuma fazer bem para a saúde física e mental das pessoas, e assim deixa 35 mil professores eventuais e categoria O sem salário há meses, obrigando alguns a ter que vender os próprios bens para conseguir se manter. Como se não fosse suficiente, Dória também quer voltar com as aulas presenciais no mês de setembro sem nenhum tipo de diálogo com os profissionais da educação, o que poderia colocar em risco a vida de milhares de pessoas no estado..

Além da verdadeira chacota que é este vídeo, no momento em que o estado e o país acumulam cadáveres da Covid-19 (mais de 1700 em São Paulo, apenas na última semana), ainda significa um avanço da privatização, sendo uma mera propaganda da iniciativa privada. É óbvio que nós defendemos que os trabalhadores devem ter acesso a equipamentos para a prática esportiva, algo que de fato é fundamental para a saúde física e mental. No entanto, a política de Dória deixa claro que é ele que não se importa com a saúde dos trabalhadores.

O governador que fez uso desse discurso pretensamente científico e de "gestão eficiente" para se opor ao negacionismo bolsonarista, na verdade sequer disponibilizou testes massivos para população ou EPIs em quantidade suficiente para os trabalhadores da saúde. Pelo contrário, com a reabertura econômica e os ataques à educação, articulados com toda a sua política desde antes da pandemia, exibe mais uma vez como ele pretende seguir com a agenda da burguesia. Por isso, não podemos confiar nele nem nenhum outro governador para o combate à pandemia ou a crise, pois estes estão todos subordinados a burguesia, que busca acabar com qualquer direito. É preciso avançar na luta por uma saída dos trabalhadores, se apoiando nas mobilizações de setores como os entregadores de aplicativo que protagonizaram uma forte de greve no dia 01/07.

A partir destes setores em luta poderíamos levantar uma verdadeira saída para a crise sanitária e econômica, com testes massivos, requisição de quartos de hotel vazios, unificação dos sistemas de saúde público e privado sob o controle dos trabalhadores, a criação de comissões de segurança e higiene nos locais de trabalho, uma renda emergencial de R$ 2000 etc.




Tópicos relacionados

João Doria   /    São Paulo   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar