Política

Dória reivindica palavras de general Villas Bôas: "acima de tudo um democrata"

O governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Dória tentaram amenizar o impacto das declarações ameaçadoras do comandante do Exército Brasileiro.

quarta-feira 4 de abril| Edição do dia

Nessa terça-feira o general Villas Boas, comandante do Exército Brasileiro fez declarações em seu perfil no Twitter, com o objetivo de pressionar o STF pela não aceitação do habeas corpus de Lula, que está sendo julgado agora nessa quarta. Hoje pela manhã, Geraldo Alckmin (PSDB), Governador de São Paulo, e João Dória (PSDB), Prefeito da cidade de São Paulo. Tentaram amenizar as declarações feitas pelo general, devido a todo repúdio que teve.

Alckmin afirmou ser legítima a declaração do general. “Ele expressou um sentimento da sociedade. A sociedade não quer a impunidade. A impunidade estimula a atividade delituosa. Ele é um cidadão, expressou um sentimento”, disse o governador.

Já Dória, disse que a fala do general não pode ser interpretada como uma forma de ameaça aos juízes caso Lula não seja preso. “General Villas Boas é acima de tudo um democrata, um defensor da Constituição, da institucionalidade. As palavras que ele postou no seu Twitter são de equilíbrio, de serenidade, mas é alerta de que é preciso respeitar a Constituição” afirma o prefeito que autorizou forte repressão aos professores e servidores municipais durante a greve.

As afirmações de Alckmin e Dória foram uma tentativa de amenizar toda a revolta e repúdio das declarações do Villas Boas, e também de outros generais que se manifestaram em favor de suas declarações ameaçadoras. E também das declarações do comandante máximo da Aeronáutica, o tenente-brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, que também fez declarações revoltantes para pressionar o STF em seguir na prisão de Lula e continuar a intervindo em quem o povo deseja votar, e aprofundando ainda mais o golpe institucional.




Tópicos relacionados

Julgamento de Lula   /    João Doria   /    Alckmin   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar