Sociedade

João Dória

Dória fez 43 viagens em 11 meses para vender São Paulo

Comprometido com seu projeto de entregar toda cidade de bandeja nas mãos da iniciativa privada, o prefeito tucano João Dória chegou a marca de 43 viagens desde janeiro.

sexta-feira 1º de dezembro| Edição do dia

Grande parte de suas viajens foram organizadas pelo grupo Lide (Grupo de Líderes Empresariais), mais precisamente onze delas. Sua busca também visa se lançar enquanto figura política nacional, talvez visando as eleições presidenciais de 2018, como porta-voz da iniciativa privada.

Na viagem para a China chegou a afirmar que foi "especificamente para vender SP". Neste momento estava querendo privatizar locais como o Anhembi e o autódromo de Interlagos. Em outros destinos, como em Dubai, Abu Dabi (Emirados Árabes) e Doha (Catar), encontrou-se com outros investidores, afirmando se tratar de um dos maiores investimentos mundiais para fazer o "mais vigoroso programa de privatização já realizado no país no plano municipalista".

Voando com seu jatinho particular, alega que a relação com o Lide não carrega interesses pessoais ou familiares, mesmo hoje o grupo que fundou sendo liderado por seu filho. Poderia dizer que carrega interesse dos capitalistas dos quais busca para falar sobre seus planos de privatizar toda cidade.

Outro ponto marcante são os encontros com políticos, os títulos de "cidadão", etc. De fato a agenda de Dória foi comprometida em lançar sua figura política a nível nacional, usado sua posição enquanto prefeito para preparar uma possível candidatura em 2018, caso assim o faça.

Dória enxerga São Paulo do alto de seu jatinho particular, visando vender tudo o que conseguir pra iniciativa privada. A marca de 43 viagens no ano marca sua busca incessante por entregar o pouco que resta de patrimônio públicos da população de SP.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Privatização   /    Sociedade   /    São Paulo (capital)

Comentários

Comentar