GOVERNO DÓRIA

Doria escala boa parte do governo Temer para integrar secretarias de São Paulo

Nesta quinta-feira o governador eleito João Doria (PSDB) anunciou o quinto nome do governo Temer (PMDB) para compor sua equipe. Trata-se de Vinicius Lummertz, atual ministro do Turismo de Temer e que assumirá a secretaria de Turismo de São Paulo.

sexta-feira 7 de dezembro| Edição do dia

Nesta quinta-feira o governador eleito João Dória (PSDB) anunciou o quinto nome do governo Temer (PMDB) para compor sua equipe. Trata-se de Vinicius Lummertz, atual ministro do Turismo de Temer e que assumirá a secretaria de Turismo de São Paulo.

Já foram escalados por Dória o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, para a Secretaria dos Transportes Metropolitanos; o atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, para a Casa Civil; Sérgio Sá Leitão (Cultura) para a Secretaria da Cultura e Rossieli Soares (Educação) para a mesma pasta.

Lummertz já deixa claro à que vem: “Estamos falando de conceitos de mudanças, de reformas na direção de um país mais liberal e mais funcional. Transformações é o que estamos pensando quando entendemos a agenda do governo federal nova, a que esteve presente até agora e a que é a essência do governo João Dória. Não um Brasil paralisado do passado, um Brasil ideológico, mas um Brasil que busque liberdade para empreender, trabalhar e dar retorno para as pessoas".

Ou seja: aprofundar ainda mais o que Temer começou em seu governo, de modo a transformar São Paulo em um grande balcão de negócios, privatizando e terceirizando serviços para que as grandes empresas lucrem ainda mais e que os trabalhadores, pela via de mais exploração e precarização, sejam a força motriz dessa engrenagem de lucro e enriquecimento dos capitalistas.

No mês passado, Dória já deixou claro mais um dos nomes que estão na sua lista preferencial. Sobre a pasta da Fazenda, afirmou que Meirelles seria o “secretário dos sonhos” para comandar a pasta. "O ex-ministro é um dos nomes mais qualificados no país, sobretudo em sua área. É brilhante e meu amigo há muito tempo. Não houve nenhum convite, mas eu diria que é o ’secretário dos sonhos’ de qualquer governador do Estado", afirmou Dória.

Henrique Meirelles atuou nos governos Lula (PT) e Temer (MDB) e foi o sétimo colocado nas eleições presidenciais deste ano, com pífios 1,20% dos votos válidos. À frente do Ministério da Fazenda, praticamente zera a conta de investimentos, e assim, a gestão da política fiscal fica à mercê das emendas parlamentares e interesses políticos, que já se viu claramente quais foram e são: descarregar a crise na classe trabalhadora para que os capitalistas garantam seus cofres cheios. Sua atuação como um dos impulsionadores da absurda PEC do teto de gastos, a "PEC do fim do mundo", que congelou investimentos em saúde e educação por 20 anos, fica marcada pelos piores resultados da história em termos de investimento público e impulsionamento do investimento privado.

Assim como Bolsonaro, Dória segue a cartilha de Temer para que São Paulo seja um grande pólo do avanço de sua política neoliberal que promete terceirizações e privatizações como prato principal. Lembrando que em sua “gestão” como prefeito da cidade de São Paulo, quase metade dos indicadores de desigualdade da cidade pioraram, segundo pesquisa. E o governador eleito já deixou claro que o plano é mesmo este, privatizar e terceirizar. “São Paulo tem força e capacidade, precisamos trazer investimentos externos para o Brasil e há interesse, agora que o Brasil está dentro de um regime liberal de economia”, afirmou.

É inaceitável que essa falácia permaneça ecoando. É preciso desmascarar e combater todo tipo de ataque, tais quais as privatizações e terceirizações, que vem para aprofundar ainda mais o desemprego, precarização e degradação dos postos de trabalho, baixa nos salários , retirada de direitos trabalhistas e uma série de medidas que relegam aos trabalhadores e à população pobre total impossibilidade de usufruírem de uma vida digna. Somente com a consolidação de uma frente única operária, que leve adiante a luta contra o imperialismo, enfrentaremos de frente Dória, os golpistas e o governo Bolsonaro.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Privatização   /    Terceirização

Comentários

Comentar