Política

ELEIÇÕES 2018

Dória e Datena estarão juntos em coligação reacionária para as eleições em São Paulo

João Dória (PSDB), candidato ao governo do estado, lançará a sua pré-candidatura junto ao apresentador de TV Luiz Datena, que concorrerá a uma cadeira ao Senado pelo DEM na próxima quinta-feira, em dobradinha reacionária, apoiadora da Reforma da Previdência, que finge "renovar" a política.

quarta-feira 27 de junho| Edição do dia

O DEM prepara para esta quinta-feira, 28, o anúncio da pré-candidatura do apresentador de TV José Luiz Datena ao Senado, na coligação do ex-prefeito da capital João Doria (PSDB) ao governo do Estado. O partido já reservou uma sala no Hotel Intercontinental, na região central de São Paulo, ao meio-dia, para divulgar a decisão e encerrar uma novela que se arrasta desde abril, quando o jornalista de 61 anos de idade se filiou à legenda herdeira da ditadura, o DEM.

O apresentador de TV José Luiz Datena confirmou que vai se candidatar ao Senado pelo DEM nas eleições 2018. "Pode confirmar, mas não posso adiantar nada antes do lançamento oficial", disse. O partido reservou uma sala no Hotel Intercontinental, na região central de São Paulo, para o anúncio na quinta-feira, 28.

João Dória em seus dois anos de prefeito mostrou a que veio, censurando a arte nos muros, participando de encontros internacionais para leiloar os espaços públicos à iniciativa privada, mas principalmente por tentar aplicar a Reforma da Previdência contra os servidores do município. Derrotado pela histórica greve de professores e servidores municipais, quer ainda provar que pode arrasar com o direito de aposentadoria dos trabalhadores a nível estadual.

A aliança entre "novas figuras" de velhos partidos com programa de continuidade da agenda de contrarreformas e maior repressão à juventude será detalhada amanhã. O que está claro é que a "novidade" nos nomes esconde a velha política reacionária e o carreirismo de João Dória, que abandonou a prefeitura de São Paulo no meio do mandado para aliar-se a uma das figuras mais moralistas e odiosas da TV brasileira, sensacionalista pregador do assassinato da juventude negra.

Datena diz em entrevista que o problema do Brasil não é "direita ou esquerda" mas sim o sistema político. Datena se considera de centro e defensor da democracia, apesar de ser filiado a um partido tradicional da direita brasileira, o DEM, partido herdeiro direto da ditadura militar, Arena, (depois PFL, agora DEM), com tradicionais corruptos entre seus mais altos quadros, como a dinastia ACM ou o antigo pupilo da revista Veja, Demóstenes Torres.

"O próximo presidente poderá até não terminar o mandato, porque terá que fazer muitas reformas impopulares”, disse Datena, discurso idêntico aos defensores de reformas a previdência.

Com informações da Agência Estado




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    João Doria   /    Reforma da Previdência   /    Política

Comentários

Comentar