Política

PRIVATIZAÇÃO EM SP

Doria e Alckmin querem privatizar as marginais

Governos tucanos querem ceder as principais vias expressas da capital paulista para a iniciativa privada. Entre as contrapartidas, pode ser implementado o pedágio nas marginais.

segunda-feira 8 de maio| Edição do dia

Doria segue em sua missão de "privatizar tudo o que for possível" na cidade de São Paulo. Parece que o objetivo do prefeito empresário é que realmente não reste nenhum bem público na cidade ao final de sua gestão.

Agora, ele estuda em conjunto com o seu padrinho político, o governador tucano Geraldo Alckmin, formas de ceder as vias mais importantes da cidade para a iniciativa privada. Em coletiva de imprensa, os dois afirmaram que foi uma "conversa preliminar" entre os dois governos, mas que a ação já está sendo desenhada.

Questionado sobre a cobrança de pedágio, Doria afirmou "Não há nenhuma decisão sobre pedágio, e isso nem foi mencionado na reunião", mas disse que a possibilidade não está descartada. Certamente querendo evitar polêmicas, disse, no entanto que a cobrança "por enquanto nem é objeto de debate".

Contudo, dificilmente se poderia pensar em alguma forma dos empresários lucrarem com as marginais que não cobrando pelo seu uso. O modelo de gestão privada deve ser semelhante do metrô paulista ou das rodovias já privatizadas: uma concessão ou Parceria Público-Privada (PPP). De toda forma, seja qual for o modelo adotado, pode-se esperar lucros milionários para os capitalistas pagos com a exploração do direito de se locomover pela cidade (já hoje em dia bastante caro e lucrativo para os capitalistas dos transportes).

A conversa não foi apenas entre os governos que agenciam as privatizações, mas envolveu diretamente os capitalistas que já lucram com rodovias no estado, além dos responsáveis pela suposta "regulação" dos serviços: estiveram presentes Elival da Silva Ramos, diretor-geral da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp); e Flávio Carvalho, diretor-presidente da Concessionária ViaOeste, do Grupo CCR, que administra as Rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares; além dos secretários municipais de Serviços e Obras, Marcos Penido; Mobilidade e Transportes, Sérgio Avelleda; e Justiça, Anderson Pomini.

É mais uma medida de Doria para fazer de São Paulo uma "cidade linda"... para os capitalistas.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Privatização   /    Alckmin   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar