Sociedade

PRECONCEITO

Dória chama de "defeituosas" crianças atendidas pela AACD

O milionário populista eleito para prefeitura de São Paulo, João Doria (PSDB), declarou nesta sexta (21) que seu primeiro salário será doado para crianças "defeituosas". Uma forma, no mínimo, preconceituosa de tratar as crianças com deficiência atendidas pela AACD.

sexta-feira 21 de outubro| Edição do dia

Em visita à zona norte de São Paulo João Dória quis mostrar seu lado caridoso e acabou passando vergonha. Para fazer valer uma das suas promessas de campanha, de doar seus salários de prefeito, o empresário magnata escolheu na região o destino da primeira doação: "A primeira entidade que vai receber meu primeiro salário de prefeito, de janeiro, é a AACD, a Associação para as Crianças Defeituosas".

Uma leitura desrespeitosa e preconceituosa da sigla da entidade, cujo nome é Associação de Assistência à Criança Deficiente. É curioso o destino da doação do futuro prefeito, tendo em vista que no início de sua campanha ele colocava a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida entre as que seriam extintas pela sua gestão na capital paulista.

Para quem investiu R$ 2,5 milhões em sua própria campanha, recusar o salário de prefeito, atualmente em R$ 24.117,62, é uma manobra populista que não fará muita diferença em sua vida. É evidente que ele não abrirá mão de nenhum dos privilégios de ser um milionário no Brasil, muito menos de sua mansão, uma das maiores da cidade. Enquanto isso a população trabalhadora seguirá amargando aluguéis altos embolsados por empresários como ele, e a população de rua seguirá aumentando, assim como o desemprego e a pobreza.

Embora tente montar um personagem "do povo" e adepto à caridade, João Dória já lista desde já o que pretende entregar para seus amigos da iniciativa privada, garantindo seus lucros com o que deveria ser público. Por mais que tente se afastar da imagem de político tradicional, Dória governará São Paulo assim como todos os políticos burgueses, para os ricos e com os ricos. Aos trabalhadores e ao povo pobre reservará mais repressão e mais precarização da vida.




Tópicos relacionados

Eleições São Paulo   /    Sociedade   /    São Paulo   /    Política

Comentários

Comentar