Política

SÃO PAULO

Doria assume e anuncia privatizar tudo em SP, depois de Covas atacar aposentadoria

terça-feira 1º de janeiro| Edição do dia

Imagem: Metro Jornal

João Doria é um milionário, inimigo dos trabalhadores. Quer enriquecer os empresários com privatizações. Montou um secretariado repleto de ministros de Temer para melhor atacar os direitos dos trabalhadores paulistas. É isso que tentou fazer quando foi prefeito de São Paulo e exatamente isso que anunciou em seu discurso de posse realizado agora pouco.

No discurso repetiu mais de uma vez “não farei ideologia” “não farei partidarismo”. É ridícula a cara-de-pau de quem tudo que faz é para se autopromover e para impor – com direito a violência contra os trabalhadores como vimos no SAMPAPREV tanto em sua gestão como na de seu vice, Bruno Covas que mandou bombas de gás e tirar sangue dos professores neste último 26 de dezembro quando a Câmara aprovou a reforma da Previdência municipal.

Doria quer impor sua ideologia burguesa, seu programa reacionário e neoliberal, quer mostrar em São Paulo um modelo para o que Bolsonaro pretende fazer em todo o país.

No discurso “sem ideologia” de Doria ele prometeu “privatizar tudo que eu puder”. Isso significa atacar o metrô, as águas e tudo que puder. Para a população significa estar ainda mais a mercê da crise hídrica ao entregar a SABESP e mais e mais acidentes e passagens caras atacando o eficiente metrô de São Paulo, que só não é mais seguro e eficiente graças a precarização tucana para abrir caminho a privatização.

O Metrô de São Paulo é altamente lucrativo e pode ser fonte de imensos lucros para os empresários amigos de Doria que o abocanharem. A empresa estatal já vem preparada desde a gestão de Alckmin para isso, realizando um planejamento de desestatização, com planejamento das novas linhas serem feitas já no modelo privatizado de PPP’s, com a extinção de cargos e serviços, com PDV’s, redução de pessoal e terceirizando atividades como por exemplo a venda de bilhetes. Doria vem para aprofundar esse modelo, atacando os metroviários e fazendo toda a população pagar a conta dos lucros dos empresários da privatização.

Com a privatização aumentarão sistematicamente as passagens para aumentar os lucros dos empresários. Nos próximos dias Doria vai anunciar o preço das passagens dos trens e metrôs em São Paulo. O prefeito da capital, o também tucano Bruno Covas, já anunciou que aumentará a passagem dos ônibus para R$4,30. Um aumento criminoso, maior que a inflação enquanto os salários de todos trabalhadores estão estagnados. Fazem tudo pelos lucros dos empresários, seus amigos e patrões!

É preciso organizar a defesa das empresas estatais e junto da juventude barrar esse aumento das passagens. O transporte pode servir ao povo e não a interesses de empresários, por isso lutamos por um sistema de metrô, trens, e ônibus 100% estatal gerido pelos trabalhadores com controle popular.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Privatização   /    Metrô   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar