Internacional

EUA x China

Donald Trump e Xi Jinping concordam com trégua momentânea na guerra comercial

A Casa Branca anunciou que vai "suspender por 90 dias" o plano de elevar as tarifas dos produtos chineses de 10 para 25%, enquanto Xi Jinping se comprometeu a aumentar "substancialmente" suas compras dos Estados Unidos.

domingo 2 de dezembro| Edição do dia

Por meio de um comunicado, a Casa Branca anunciou o que é uma distensão parcial e momentânea na disputa entre os dois países após o jantar que Trump teve com o presidente da China, Xi Jinping, no final da cúpula do G20 em Buenos Aires. A suspensão do aumento tarifário será feita enquanto negocia com Pequim sobre "mudanças estruturais" à sua política econômica.

Em troca, o presidente chinês prometeu, por sua vez, aumentar "substancialmente" as compras de "produtos agrícolas, energéticos, industriais e outros" dos Estados Unidos.

O anúncio é o resultado da reunião que as delegações chinesa e americana tiveram após o término da Cúpula do G20. A reunião foi realizada como parte de um jantar exuberante em um dos hotéis mais excêntricos de Buenos Aires, onde chefes de Estado e funcionários da linha de frente dos dois governos participaram.

O jantar / reunião foi realizado dentro do marco da forte guerra comercial que Trump desencadeou ao impor tarifas sobre as importações da China por um valor de cerca de 250 bilhões de dólares e para o qual o gigante asiático respondeu da mesma maneira por cerca de 60 bilhões.

Além disso, havia uma ameaça por parte dos Estados Unidos de impor mais tarifas para outros 260 bilhões em 2019, com os quais as tensões aumentariam seriamente e toda a economia mundial sofreria as consequências recessivas dessa guerra.

Caso algo estivesse faltando, recém-chegado a Buenos Aires e depois do encontro com Mauricio Macri, uma porta-voz de Trump informara que se falava em "enfrentar a atividade econômica predatória da China". O governo argentino colocou panos frios, mas as coisas não começaram bem.

Desde que esta importante reunião foi confirmada, os principais atores do G20 e dos principais meios de comunicação em todo o mundo fizeram apelos mais ou menos diretos para que as duas maiores potências econômicas do planeta aproveitassem a oportunidade do G20 de conter a guerra comercial ou pelo menos não aprofundar. Este último parece ser o resultado da cúpula.

Ao entrar no luxuoso hotel, os dois líderes deram sinais de relaxamento. Trump disse que a reunião foi "muito importante" e que ele teve "uma relação incrível" com Xi. "Acho que vamos conseguir algo que seja bom para a China e bom para os EUA".

Xi Jinping destacou sua "amizade pessoal" com Trump e pediu-lhe que trabalhasse com ele para garantir a saúde da economia global. "Somente com a cooperação entre nós podemos promover o interesse da paz e da prosperidade mundial", disse ele.

No início da reunião, a primeira coisa que Xi Jinping disse foram as condolências pela morte do ex-presidente George W. Bush (pai) e disse que se sentiu "muito triste" pelo fato. Uma primeira coincidência com o chefe da Casa Branca em torno de um serial killer como Bush.

Esta reunião foi a última atividade de Trump na Argentina, já que após o encontro ele partiu quase imediatamente para o aeroporto para retornar aos Estados Unidos. Xi Jinping permanecerá no domingo para uma reunião com seu colega argentino Mauricio Macri.

Teremos que esperar pelas próximas semanas para ver se é o primeiro passo para acabar com a guerra comercial ou apenas uma pausa para acelerar novamente.




Tópicos relacionados

Guerra comercial EUA x China   /    G20 na Argentina   /    G20   /    Guerra Comercial   /    Donald Trump   /    China   /    Estados Unidos   /    Internacional

Comentários

Comentar