Educação

1º de Maio

Docentes da UFCG convocam 1º de Maio independente e classista pelo Fora Bolsonaro e Mourão

Em reunião realizada pela Diretoria e a Comissão de Mobilização da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Campina Grande (ADUFCG), realizada nesta quinta-feira, 30 de abril, decidiu-se pela participação no ato-live organizado pela CSP-Conlutas e a Intersindical por avaliar que defende a independência política da classe trabalhadora, defendendo em suas intervenções o “Fora Bolsonaro – Mourão”.

sexta-feira 1º de maio| Edição do dia

Neste dia internacional de luta da classe trabalhadora, que encontra o Brasil no marco de uma gravíssima crise sanitária que aprofunda a crise econômica a qual se combina no país com uma crise política no marco da crise orgânica do capitalismo brasileiro, em termos nacionais decidiu-se participar do único ato político que defende a independência política dos trabalhadores frente ao Estado e seus governos, assim como os patrões.

Também decidiu-se convocar ao panelaço – twitaço ás 20:30 horas pelo “Fora Bolsonaro-Mourão, vidas e empregos acima dos lucros”.

Desde Esquerda Diário, impulsionado pelo Movimento Revolucionário dos Trabalhadores (MRT), entendemos como progressiva esta decisão política, uma vez que rompe o consenso em torno da unidade das centrais sindicais pelegas CUT, CTB e Força Sindical, entre outras, com verdadeiros algozes da classe trabalhadora como são Maia, Dória, Witzel e até o próprio FHC sem levantar nenhuma medida concreta para sair da crise em benefício dos trabalhadores e do povo pobre, e ainda tem a limitação de ser convocado só pelo “Fora Bolsonaro” deixando aos trabalhadores nos braços dos militares.

Chamamos à todos a participarem do Ato-Live que será às 11h transmitido pelas redes do Esquerda Diário, bem como do Panelaço e Twitaço às 20h30 convocado pelas CSP-Conlutas, a Intersindical ("Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora") e outras organizações, como os grupos e companheiros(as) que impulsionam a plataforma Contrapoder, entendendo que este ato independente, que levanta a bandeira do classismo e do internacionalismo, foi uma importante conquista como apresentamos nesta matéria

Nós do MRT lutamos também por uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, e queremos seguir o debate com todas as organizações da esquerda socialista, bem como com os professores da base de ANDES-SN, sobre a necessidade de defender essa medida como condição para que o povo possa realmente decidir sobre uma saída para essa crise, pois o problema que enfrentamos não é somente um governo, mas um regime que desde o golpe institucional de 2016 segue avançando em sentido cada vez mais autoritário e fraudulento.

Posteriormente nesse 1° de maio, a Fração Trotskista, que impulsiona a rede internacional de diários La Izquierda Diario, fará um ato internacionalista desde os 14 países onde está presente construindo uma alternativa de independência de classe para a crise capitalista, que mais uma vez mostra sua incapacidade de evitar as mortes pelo coronavírus, colocando sempre o lucro dos empresários acima da vida dos trabalhadores e setores oprimidos da sociedade. Estarão conectadas as organizações que fazem parte da Fração Trotskista - Quarta Internacional na França, Brasil, Argentina, Chile, Estado Espanhol, Itália, México, Alemanha, Bolívia, Peru, Venezuela, Costa Rica e Uruguai. Esse ato internacionalista será seguido pelo ato da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores - Unidade (FIT - U, Argentina) que terá tradução simultanea. Aproveitamos e convidamos todos os companheiros e companheiras a serem parte destes atos para darmos mais um passo na construção da “linha de frente” de lutadores e lutadoras por uma saída de fundo, da classe trabalhadora, socialista e revolucionária. No dia 1° maio às 15h.

Amanhã, 11h, todos ao ato classista e independente, por um 1M por Fora Bolsonaro, Mourão e os militares!




Tópicos relacionados

1 de Maio   /    Coronavírus   /    Educação

Comentários

Comentar