Gênero e sexualidade

LGBTfobia

Direita confunde Pink Floyd com bandeira LGBT e vomita ódio contra Polenguinho

O senso do ridículo da direita não encontra limites na LGBTfobia e na censura, que tornou o queijo Polenguinho o seu novo inimigo.

Virgínia Guitzel

ABC Paulista | @virginiaguitzel

quinta-feira 19 de outubro| Edição do dia

A marca que produz os queijos Polenguinho publicou na sua página de Facebook esta imagem como parte de uma peça publicitária, fazendo referência ao famoso álbum Dark Side of the Moon, do grupo Pink Floyd.

Nos comentários do post, a direita mais raivosa e LGBTfóbica viu no arco-íris uma explícita apologia à bandeira do movimento LGBT, portanto à fantasiosa "ideologia de gênero" .

O voo alto da direita autoritária, que no último mês armou uma ofensiva às exposições de arte cujo tema estariam relacionados à diversidade sexual e de identidade de gênero, se provou nada mais que um falso-moralismo que não respeita nem mesmo as fronteiras do ridículo para promover um arqui-reacionário discurso de ódio LGBTfóbico.

No último mês, a bancada evangélica, a Folha de São Paulo, empresários e diversos políticos pelo país, tomaram esse vento de cauda da direta mais podre, como Bolsonaro, MBL, Gentili, Frota e companhia, para despertar os seus íntimos desejos censores e reacionários.

Veja alguns dos comentários:

Esquerda Diário: uma voz anticapitalista




Tópicos relacionados

Censura   /    LGBT   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar