Política

FGTS

Diferente das reformas, saque do FGTS está em risco e deputados não tem pressa

Diferente das reformas que estão tramitando mesmo com a crise política, para garantir o saque do FGTS os deputados e senadores não tem a menor pressa.

terça-feira 23 de maio| Edição do dia

Em razão da crise política, que aumentou semana passada após a revelação do escandaloso esquema de corrupção com o grande escalão político do país, a medida provisória (MP) que autorizou o saque do dinheiro de contas inativas do FGTS corre o risco de não ser votada a tempo pelo Congresso, segundo o Estadão.

Essa medida, que havia sido uma das formas do governo golpista de retomar a popularidade além de movimentar muito minimamente a economia por meio dos próprios recursos dos trabalhadores, perde a validade já na semana que vem (01/06), e caso não seja votada pela Câmara e Senado antes disso os trabalhadores beneficiados com tal medida não poderão mais sacar o dinheiro.

Como já havíamos escrito aqui, essa MP não tem nenhum interesse em ajudar os trabalhadores, até porque trata-se do mesmo governo que está atacando os trabalhadores.

A MP está prevista para ser votada na Câmara a partir de amanhã e, de acordo com Baleia Rossi (PMDB - SP), há um acordo para que tal medida seja votada antes disso em ambas as casas, mas o líder da oposição na Câmara, deputado José Guimarães (PT-CE), nega tal acordo alegando que com a crise política e pedido de renuncia de Temer não há nenhuma votação prevista.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar