Juventude

LUTA PELA EDUCAÇÃO

Dia nacional de luta em defesa da educação, todos ao 3J!

Nesse dia 3 de junho sera realizado atos e ações em diversas escolas e universidades como uma medida unificada dos estudantes em defesa da educação.

Rebeca Moraes

Coordenadora do CACH - Unicamp

quarta-feira 1º de junho de 2016| Edição do dia

Em meio a um cenário de crise, a Educação é sempre um dos primeiros setores a serem atingidos pelos cortes dos governos, seja federal ou estadual. Desde o corte de 13 bilhões da “Pátria Educadora” de Dilma Rousself, que atingiu em cheio as Universidades Federais, até o desmonte das estaduais paulistas, orquestrado por Geraldo Alckmin, fica evidente a ação conjunta dos governos de precarização da Educação.

No entanto, a resposta dos setores atingidos por este plano tem sido uma luta contundente contra estes cortes, mas também indo por mais, como é o caso das estaduais paulistas, USP e Unicamp, que têm como principal pauta estudantil a luta por cotas étnico-raciais. E regada pela politização da situação nacional, se colocando a cabeça da luta contra o golpe institucional, e agora pós impeachment, as lutas por educação podem ganhar um novo patamar político de se enfrentar contra o governo golpista do Temer.

Igualmente audaz tem sido desde o ano passado o movimento de secundaristas de São Paulo, que ocuparam suas escolas contra a desorganização do governador do Estado, e que seguiram em luta com atos muito combativos contra o desvio de verbas destinado à merenda escolar e contra a precarização do ensino básico público, resistindo à repressão policial. Sem mencionar as ocupações das ETECs que se alastraram por São Paulo, mas também as ocupações no Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Ceara e Mato Groso, que mostram a vontade de luta da juventude.

Não é tarefa difícil concluir que há uma necessidade de unificação dessas lutas, tendo em vista que o inimigo é comum. O governador do Estado tinha fama de não se dobrar, mas os secundaristas mostraram quais são os métodos a se usar contra essa direita que nos ataca.

Exemplo dado, os estudantes de todo país têm se mobilizado por suas pautas, seja lidando com o golpista Temer e seus ministros reacionários, ou com os governos estaduais do PSDB, PT e PMDB, ocupando escolas e universidades.

Se a unificação estadual é um pressuposto para a vitória conjunta das lutas em defesa da educação, nacionalmente não pode ser diferente. Por isso mesmo, estudantes de São Paulo, universitários e secundaristas, reunidos em um encontro estadual no último domingo na REItoria ocupada da Unicamp fazem um chamado a um Dia Nacional de Luta pela Educação, em 3 de junho. Em cada unidade, por todo o país, intervenções em rodovias, atos de rua etc. serão feitas coordenadamente. Será um grande dia de mostrar para os governos nossa força e capacidade de organização, nem os cortes nem os golpistas vão passar. Todos nesse dia 3 em defesa da educação.




Tópicos relacionados

Juventude

Comentários

Comentar