Gênero e sexualidade

FEMINISMO E MARXISMO

Dia 18, venha ao Ciclo de Debates Feminismo e Marxismo na UFRJ!

O debate impulsionado pela Juventude Faísca - Anticapitalista e Revolucionária e pelo grupo de mulheres Pão e Rosas contará com a presença de Simone Ishibashi, doutoranda em Economia Política pela UFRJ, membro da APG-UFRJ e editora da Revista Ideias de Esquerda e Rita Cardia, Doutoranda em Geografia pela UERJ, militante do Pão e Rosas e autora do prefácio do livro “Feminismo e Marxismo”. Será na quarta dia 18 as 18h, no IFCS, na sala Celso Lemos.

Pão e Rosas

@Pao_e_Rosas

segunda-feira 16 de setembro| Edição do dia

O governo Bolsonaro escolheu como inimigo nº1 as mulheres. Porém, esse machismo e a misoginia desse governo não estão descolados dos interesses da grande burguesia. Se o o patriarcado segue existindo no capitalismo, e porque ele é funcional para sua reprodução. Um dos pontos fundamentais para explicar essa questão está no trabalho doméstico e sua funcionalidade para a exploração capitalista. Ou seja, a ideologia machista que trata como “natural” as mulheres cumprirem todas as tarefas domésticas, é essencial para a reprodução da força de trabalho, através de um trabalho não remunerado que é fundamental para aumentar as taxas de lucro dos capitalistas.

Dos 10 aos 60 anos, as mulheres são mais de 40 milhões da população ocupada no Brasil, ou seja, cerca de quase metade da classe trabalhadora brasileira, sendo 20 milhões de negras. Dentre os desempregados, até 2015, as mulheres são mais de 5 milhões, com maioria também de mulheres negras. 10,5% das mulheres brancas ocupadas trabalham sem carteira assinada, 11,8% das negras também. 18% das mulheres negras que trabalham são empregadas domésticas . Entre os precários e informais, sem estatísticas claras, as mulheres são a esmagadora maioria.

Frente, a esse cenário, surge a de debater que tipo de estratégia e que tipo de feminismo é necessário levar adiante. Muito diferente do que defendem correntes liberais e burguesas do movimento feminista, o feminismo marxista traz uma perspectiva marxista, de enfrentamento não só com o machismo mas com todo o sistema capitalista.

Por isso nos da Juventude Faísca - Anticapitalista e Revolucionária e pelo grupo de mulheres Pão e Rosas todos ao ciclo de debate Feminismo e Marxismo:

18/09- IFCS/UFRJ na Sala Celso Lemos - 18H com Simone Ishibashi e Rita Cardia

26/09- UFF-Gragoatá - 18H com Diana Assunção e Carolina Cacau (local a confirmar)

UERJ - com Carolina Cacau e Rita Cardia (data e local a confirmar)

Diana Assunção, trabalhadora da USP, autora do livro “Feminismo e Marxismo” e fundadora do grupo de mulheres Pão e Rosas

Carolina Cacau, candidata à vereadora do MRT em 2016, professora da rede do estado do RJ e autora do artigo sobre Rosas Parks do livro “Lutadoras - Histórias de mulheres que fizeram história”.

Rita Cardia, Doutoranda em Geografia pela UERJ, militante do Pão e Rosas e autora do prefácio do livro “Feminismo e Marxismo”.

Simone Ishibashi, Doutoranda em Economia Política pela UFRJ, membro da APG-UFRJ e editora da Revista Ideias de Esquerda.

Ciclo de debates Feminismo e Marxismo: sessão UFRJ
Quarta-feira, dia 18 as 18h no IFSC/UFRJ, Sala Celso Lemos
Presença de Simone Ishibashi e Rita Cardia

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/371899420157166/




Tópicos relacionados

Pão e Rosas   /    Feminismo   /    Faísca - Juventude Revolucionária e Anticapitalista   /    UFRJ   /    Rio de Janeiro   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar