Juventude

OCUPA BRASÍLIA

Derrotar as reformas para que os capitalistas que paguem pela crise: greve geral e constituinte já!

Declaração da juventude Faísca - Anticapitalista e Revolucionária, frente aos novos acontecimentos políticos no país

segunda-feira 22 de maio| Edição do dia

As novas delações da JBS aprofundaram ainda mais a crise política em nosso país. Apesar da demagogia, o governo golpista de Temer está tremendo diante da possibilidade de que ele caia pelas mãos da classe trabalhadora, que entrou em cena com fortes paralisações e mobilizações no último período.

Não podemos ter nenhuma confiança na Lava Jato e nesse judiciário golpista, que tentam solucionar a crise por cima, para impedir que seja os trabalhadores e a juventude aqueles que com a força da sua mobilização derrubem esse governo. A declaração de Temer de que não renunciaria, era mais uma tentativa de manter sua base aliada, que começava as esvair-se diante da crise política, do que uma certeza absoluta em meio ao caos político que tomou conta do país. A mídia burguesa, que tinha se unificado entorno do golpe institucional, hoje não possui mais consenso de que Temer seja a melhor pessoa para conseguir implementar as reformas e discute quais as possíveis saídas para que os capitalistas continuem lucrando, enquanto os trabalhadores e a juventude sofrem com os altos índices de desemprego, os trabalhos precários e a retirada de direitos fundamentais.

A juventude é um grande alvo dessas reformas, sobretudo a juventude trabalhadora. Hoje já estamos nos piores postos de trabalho, trabalhamos no telemarketing, nos fast-foods, como professores precários, além disso para poder estudar ficamos completamente sem vida, pois trabalhamos durante o dia, fazemos as matérias a noite, passamos horas do nosso dia nos transportes públicos lotados e não temos tempo nem dinheiro pra lazer. As reformas querem terceirizar tudo e fazer com que a nossa geração não se aposente, que trabalhemos até morrer. Não dá pra aceitar isso, já estamos vendo a situação de vida dos nossos avós e pais, sofrendo com falta de saúde pública por exemplo, agravada agora com o teto de gastos para serviços públicos. Precisamos nos rebelar contra isso, ao lado do conjunto da classe trabalhadora

Com a força da nossa mobilização podemos derrotar as reformas e derrubar Temer

A entrada em cena da classe operária foi o que desestabilizou o consenso burguês de que Temer era a pessoa certa para implementar seus verdadeiros interesses, reformas tão profundas que nos obrigarão a trabalhar até morrer, que irão dia a dia retirar parte das nossas vidas em serviços precários e sem nenhuma estabilidade para que os capitalistas continuem lucrando cada vez mais. Mas os trabalhadores e a juventude vêm demostrando que não aceitarão essa imposição dos capitalistas. As mobilizações que perpassaram os últimos meses são um recado claro, a classe operária brasileira acordou, e a juventude que vem lutando desde junho de 2013 precisa estar lado a lado com esses trabalhadores para derrotar todas as reformas, mostrando como nossas vidas valem muito mais que os lucros dos capitalistas.

Precisamos nesse dia 24, construir uma forte marcha em Brasília, deveremos ser centenas de milhares numa verdadeira ocupação, naquele lugar que para muitas pessoas é um dos símbolos da hipocrisia desse sistema político corruptos e cheio de privilégios.

Para isso a maior entidade estudantil do país precisa efetivamente organizar a juventude. Quantos ônibus a UNE irá mandar para Brasília? Quantos universidades irão paralisar para que os estudantes possam se mobilizar? Em meio a esse cenário é quase criminoso que uma entidade como essa, não coloque todas as suas forças para mobilizar o maior número possível de jovens para irem pra Brasília. Não pode ser que a UNE se contente em fazer discursos inflamados nos atos ou se dediquem as eleições de delegados para o seu 55º Congresso, passando totalmente por fora de organizar os jovens para a luta imediata contra reforma.

Para derrotar os ataques em curso e anular os que já passaram: Constituinte Já!

Repudiamos a proposta de eleições indiretas, que alguns setores da burguesia como a Globo golpistas vem apresentando. Ao mesmo tempo também achamos que a força da nossa mobilização não pode ser desviada para uma reivindicação por Diretas Já, que ganhou muita força no último período, seja por meio de setores como a Rede de Marina Silva, o PT, a CUT, UNE, pela esquerda como o PSOL, mas também por setores da direita como Espiridião Amin do PP ou Ronaldo Caiado do DEM. Eleições diretas hoje só serviria para recomposição desse regime, seria o cenário ideal para que o petismo pudesse promover a figura de Lula como os salvador da população, enquanto a burguesia vai tentando por baixo passar todas as reformas contra os trabalhadores e a juventude.

Novas eleições dentro desse sistema não basta, pois não adianta mudar os jogadores sem mudar as regras do jogo. Lula já atacou os trabalhadores e a juventude diversas vezes quando governou nosso país, para aqueles que confiam nele, perguntamos acham mesmo que ele pode fazer algo enquanto busca conciliar nossos interesses com os dos patrões? Ou com a manutenção da PEC 55/241 de teto fiscal e das reformas da previdência e trabalhista, com as regras do jogo eleitoral permanecendo as mesmas e com esse parlamento dominado pela direita golpista e corrupta?

Se cai o Temer, o próximo governo vai seguir aplicando as reformas. Pois estará submetido as atuais regras do jogo e os limites como a PEC do teto e o pagamento da dívida pública. A única forma de impedir que nos matem de fome e nos obriguem a trabalhar até morrer é impondo uma Constituinte Livre e Soberana. Uma nova constituinte, onde através de eleições gerais votemos representantes para reformular todas as leis que regem o país mudando as regras do jogo e não apenas os jogadores, batalhando por representações dos trabalhadores para começar pela anulação das reformas do governo golpista, como a PEC 55/241 que impõe um teto de gastos que sufoca os gastos sociais para garantir o bolsa banqueiro, a dívida pública e a terceirização irrestrita. Avançando para anular não somente os ataques de Temer, mas também os que passaram nos governos de Dilma, Lula, FHC e Collor.

Uma Constituinte como essa poderia expropriar todas as empresas desses empresários corruptos e colocá-las sob controle dos trabalhadores e a serviço das necessidades do povo. Imagina como seria se a Odebrecht estivesse a serviço de um plano de obras públicas e a JBS de acabar com a fome que se amplia no país? Só por meio de uma Constituinte poderemos também enfrentar o problema da corrupção verdadeiramente, pois não podemos confiar neste judiciário e neste parlamento. Para julgar corruptos e corruptores, imporiamos juris populares e medidas como a que todo político, juízes e funcionários de alto escalão ganhem o mesmo salário que uma professora. A corrupção é inseparável do regime político feito por e para os capitalistas, e por isso o que se tem que fazer é avançar na luta contra as reformas ligando-a à luta contra esse regime político baseado na corrupção, com a Constituinte.

Nós jovens precisamos nos aliar a classe trabalhadora e a classe média empobrecida na luta por uma eleição que seja capaz de mudar as regras do jogo a nosso favor, que só pode ser para uma Constituinte, imposta por uma greve geral. Questionando profundamente esse regime e fazendo com que sejam os capitalistas que paguem por essa crise.




Comentários

Comentar