JOÃO DORIA

Derrotados pela greve, Doria e Covas ameaçam com cortes de recursos e aumento de impostos

João Doria e seu vice Bruno Covas (ambos do PSDB) foram na tarde de hoje aos microfones pela primeira vez depois da derrota que lhes foi imposta ontem pela força da greve e da mobilização de professores e servidores em frente a Câmara Municipal.

quarta-feira 28 de março| Edição do dia

João Doria e seu vice Bruno Covas (ambos do PSDB) foram na tarde de hoje aos microfones pela primeira vez depois da derrota que lhes foi imposta ontem pela força da greve e da mobilização de professores e servidores em frente a Câmara Municipal.

O vice prefeito (que logo ocupará o cargo de Doria, que irá concorrer à Governador pelo PSDB) disse que a não aprovação da reforma da previdência municipal, o SAMPAPREV, acarretaria em redução de orçamento em outras áreas, ou até em aumento de impostos em São Paulo.

Dória repudiou a decisão na Câmara Municipal, dizendo que "fez sua parte" na tentativa de aplicar esse ataque sobre os professores e servidores públicos da cidade de São Paulo. E acrescentou ainda que se não sendo aprovada a reforma, a prefeitura terá "fé em adequar as contas públicas de uma outra forma: ou reduzindo mais o recurso da educação, da saúde, do meio ambiente, da cultura, do esporte, da mobilidade, ou ampliando os impostos da cidade de São Paulo."

O tom da declaração de João Doria mostra o quão importante foi a derrota que sofreu. afinal ele tentava em esfera municipal aplicar a mesma reforma que Temer não conseguiu aplicar nacionalmente. Para além disso o prefeito vai para as eleições para Governador do estado com o peso dessa derrota.

Os professores e os servidores deram uma grande demonstração de que com sua mobilização e seus métodos conseguimos derrotar os ataques da direita golpista contra nossa classe, e são exemplo de luta para todo o país.




Tópicos relacionados

Sampaprev   /    João Doria   /    Reforma da Previdência   /    Michel Temer

Comentários

Comentar