Economia

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Deputados madrugam para votar roubo a seu direito de se aposentar

Deputados em reunião oficial as 09hs da manhã? Só se for para atacar direitos dos trabalhadores. É isso que está acontecendo nesse exato momento.

quinta-feira 4 de julho| Edição do dia

A comissão especial da Câmara de Deputados está reunida em Brasília nesse exato momento. Em raríssimas ocasiões se vê os privilegiados deputados batendo cartão tão cedo. Exceções como a de hoje ocorrem somente quando há imensos interesses patronais em jogo. A expectativa do governo e da Bovespa é que o relatório seja aprovado e possa ir a votação no plenário na próxima semana.

Os deputados estão reunidos para votar o relatório do filme de terror que é a reforma da previdência. Uma reforma desenhada para garantir um trilhão de reais ao ano para os donos da dívida pública (através do estrangulamento do orçamento público nessa mesma quantia ao longo de dez anos) e está destinada a aumentar criminosamente a desigualdade social.

Saiba mais sobre a nefasta reforma da previdência e seu novo relatório lendo “As violentas medidas da reforma da previdência aumentam desigualdades

Ocorreram diversos vai-e-vens na tramitação da medida, mas nenhuma das idas e vindas deve-se a luta de classes, escandalosamente enjauladas pelas centrais sindicais em que pese a grande disposição de luta mostrada pela juventude em atos em maio e na paralisação nacional de 14 de junho, onde ocorreram diversas paralisações mesmo com a UGT abertamente traindo a greve, a Força não a construindo e a CUT e CTB orientando os trabalhadores a ficarem em casa, para garantir que esse dia não seria um despertar de ativismo e que impusesse a paralisação como parte de um efetivo e real plano de luta contra a brutal reforma a acabar com o direito de se aposentar.

Os vai e vens da reforma se dão em meio a negociatas de governadores, sobretudo do PT, para inclusão dos servidores estaduais na medida de subtração de direitos e a conflitos do PSL e da base eleitoral de Bolsonaro nas polícias com a reforma de seu próprio governo. Os PM’s exigem paridade de direitos às forças reacionárias e igualmente racistas do Exército. Neste atrito o próprio Bolsonaro tentou garantir algum benefício a seus parceiros em armas e reacionarismo.
A reforma implicará aos trabalhadores em uma imposição de absurda idade mínima, um roubo de centenas de reais a cada futuro aposentado, bem como diversas brechas para que tudo vire lei simples, até mesmo a aposentadoria rural e a idade mínima.

A tramitação dessa reforma acontece mediante o aplauso de uma “oposição” que é merecedora de aspas. O PDT de Ciro Gomes que já falava em plena campanha eleitoral que era preciso implementar alguma reforma, tem como uma de suas principais porta-vozes a jovem deputada Tabata Amaral, financiada pelo bilionário Lehman e que fala que fica triste (!!!) ao ver que alguém se oponha a reforma (!). O PT por sua vez escalou seus governadores para não somente tentar virar votos a favor da reforma, como para batalhar para incluir servidores estaduais e municipais em troca de um prato de lentilhas de recursos, recursos esses que virão de outro crime contra a pátria, a privatização do pré-sal. Só com essa política dos governadores do PT e dos deputados do PDT entende-se a linha das centrais sindicais que nada organizam enquanto esse imenso ataque segue em tramitação.

Mostram, com todas as cores sua traição à luta para impedir essa reforma.

Para mostrar algum nível de oposição, o que pode ter sua utilidade eleitoral futura, as centrais sindicais se somaram ao chamado da UNE para realização de manifestação no dia 12/07. Porém para que esse dia seja efetivamente parte de um plano de luta para derrotar a reforma é preciso que a UNE organize milhares de ônibus para Brasília que a juventude esteja em peso em seu Congresso debatendo seu papel frente ao reacionário governo de Bolsonaro e para dar ânimo a essa manifestação.

As centrais que se somam a data de manifestação da UNE não o estão fazendo como parte de um plano de luta, o que é urgente para derrotar toda reforma da previdência. Não aceitamos a falácia de que este “filme de terror” seja uma reforma “desidratada” como falam sites e deputados petistas, exigimos que se realize assembleias nos locais de trabalho para organizar a participação dos trabalhadores nesse dia 12, que se disponibilizem ônibus para ida a Brasília onde for possível e que essa data seja parte de um efetivo plano de luta.

Não é cabível aceitar a troca de nosso direito à aposentadoria por negociatas do PT e centrais sindicais com Maia e Alcolumbre. Essa e todas reformas propostas pelos capitalistas tem como único objetivo entregar bilhões aos banqueiros e outros capitalistas donos da dívida. O Esquerda Diário, chama a batalhar em cada local de trabalho e estudo por essas iniciativas para que a juventude e a classe trabalhadora possam dar sua cara nesse dia, e possam nesse marco avançar a questionar o mecanismo de rapina do país que é a dívida pública, onde temos que mirar se queremos acabar não somente com a reforma mas com a sangria de recursos do país e com cada desculpa dada pelos governos, pela mídia burguesa e pelos empresários para trucidar nossos direitos.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Economia   /    Política

Comentários

Comentar