Educação

PROFESSORES DA REDE PÚBLICA

Deputados do PSL propõem testes toxicológicos em professores. Cadê os testes para Covid?

terça-feira 25 de agosto| Edição do dia

Foto: Reprodução

Está tramitando na câmara de vereadores o Projeto de Lei 3928/20 que visa testar no momento da admissão de professores da rede pública um exame toxicológico junto com verificações anuais a fim de descobrir quais professores sofrerão sanções pelo uso de drogas ilícitas. Esse absurdo é parte de uma politica de ataque aos professores que também envolve os servidores públicos em âmbito nacional.

Os autores do projeto de lei, Marcelo Brum e Eduardo Bolsonaro (que fazem parte do PSL) são inimigos dos professores e visam atacar ainda mais a educação e a imagem dos educadores de escolas públicas que dão aulas em condições precárias com salas superlotadas, sem materiais didáticos atuais, atraso de salários e demissões. Esse projeto de lei que se mascara de preocupação nada mas quer do que avançar nas represálias aos professores, que ensinam milhares de crianças, jovens e adultos, partindo de um julgamento que os enquadra numa conduta moral que consideram contra o papel que educadores devem cumprir.

Para ir mais além, esse tipo de projeto de lei se mostra cada vez mais surreal mediante as prioridades da educação com o atual cenário de pandemia, onde a privatização avança em forma de ensino à distância, combinado com a total falta de acesso dos alunos a equipamentos e internet e falta de testes massivos como o mínimo para descobrir o foco da pandemia e planejar qualquer retorno as aulas que querem impor os governos.

Vale a pena lembrar que esse ataque é uma continuidade de uma politica ideológica conservadora na educação com o projeto "Escola sem partido", onde a família Bolsonaro faz coro com a perseguição e neutralização de debates essenciais nas escolas, como a discussão de gênero e educação sexual, fundamental para avançar no combate à violência e opressão as crianças e adolescentes, como combater situações como o estupro que sofreu a garota de 10 anos. Além de ter a longo prazo o objetivo de se aprofundar a privatização da educação, que hoje já tem início com a venda de plataformas de petróleo, ameaças aos trabalhadores dos correios e outros ataques que foram levantados na horripilante reunião dos ministros de Bolsonaro.

Enquanto esses políticos pretendem obrigar testes toxicológicos aos professores, a comunidade escolar não têm testes de covid-19. É fundamental que professores, alunos e toda a comunidade escolar de cada escola pública se auto-organizem para debater como deve ser a volta as aulas, em que condições e quando e também fortalecer a organização para barrar esses tipos de projetos de bolsonaristas que hipocritamente falam em defesa da educação mas querem destruir a educação pública dos filhos da classe trabalhadora para que a juventude e professores paguem pela crise e sigam explorados.




Tópicos relacionados

Eduardo Bolsonaro   /    Escola sem partido   /    Educação   /    Professores   /    Política

Comentários

Comentar