Política

CRISE NO RIO

Deputados citados na delação da JBS votaram pelo aumento da alíquota previdenciária do RJ

5 deputados estaduais citados semana passada na delação que abalou profundamente a governabilidade do golpista Temer votaram hoje a favor do aumento da alíquota previdenciária dos servidores do estado, de 11% para 14%.

quarta-feira 24 de maio| Edição do dia

Foto: Matheus Rodrigues/G1

Hoje o governo Pezão votou mais um de seus ataques a classe trabalhadora. O aumento da alíquota previdenciária irá precarizar ainda mais os servidores do estado que vivem em meio ao atraso de salário, demissões e congelamento de salários.

A medida é uma das contrapartidas exigidas por Temer para que haja liberação de recursos ao estado. A ameaça covarde do governo federal para a implementação de medidas de austeridade no Rio de Janeiro foi praxe no governo golpista de Temer, que na semana passada viu seu cargo ameaçado pela delação de Joesley Batista.

A delação é reveladora da submissão do estado brasileiro aos capitalistas, assim como a votação de hoje na Alerj, os deputados flagrados, aqui expostos, não passam de fantoches que atuam em um conluio explicito com os grandes empresários e o governo federal para atacar nossos direitos.

Os 5 deputados listados abaixo presentes na delação da JBS que votaram a favor do aumento da alíquota previdenciária são:

Luiz Martins (PDT), que aparentemente recebeu R$421 mil reais

Gustavo Tutuca (PMDB), que aparentemente recebeu R$100 mil reais

Edson Albertassi (PMDB), que aparentemente recebeu R$120 mil reais

Dionisio Lins (PP), que aparentemente recebeu R$100.000 mil reais

André Ceciliano (sem partido), que aparentemente recebeu R$70 mil reais

Os 5 deputados listados acima representam os interesses dos capitalistas, do governo Pezão e do governo golpista de Temer são, também, responsáveis diretos da brutal repressão na manifestação de hoje na Alerj.




Tópicos relacionados

JBS   /    Alerj   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar