UNESP MARÍLIA

Deputado Carlos Gianazzi e diretores da ADUNESP se posicionam contrários à repressão na UNESP de Marília

Na quinta-feira, dia 9, a Associação dos Docentes da Unesp (ADUNESP) realizou uma mesa com o deputado estadual Carlos Gianazzi em celebração de posse da nova chapa local da entidade em que foram debatidos a situação política atual, os ataques de Temer e seus impactos sobre a universidade pública no Brasil.

terça-feira 14 de novembro| Edição do dia

Foto: Deputado Carlos Gianazzi, tesoureira da ADUNESP Central Angélica Lovatto e presidente da ADUNESP Central João Chaves.

Estavam presentes o deputado, integrantes da antiga e nova chapa de direção da entidade em Marília, respectivamente, Anderson Deo e Henrique Novaes, além de membros da representação central do sindicato, o presidente João Chaves e a tesoureira Angelica Lovatto. Todos os participantes posicionaram-se contrários ao Intérdito Proibitório e contra as 35 Sindicâncias aos estudantes da UNESP de Marília.

Em suas falas os componentes da mesa apresentaram críticas às Reformas do governo Temer e do governo Alckmin ligando-as aos recentes casos de ataques diretos e ampla retirada de direitos conquistados pela classe trabalhadora por meio da utilização massiva de instrumentos repressivos com a finalidade de facilitar a aplicação de medidas que levarão trabalhadores a pagarem por dívidas de grandes empresários, como a PL920, projeto que despeja a crise e dívidas do Estado nos salários de trabalhadores.

Também evidenciou-se a característica da Lei Antiterrorismo instaurada pelo então governo de conciliação petista que agora, no governo golpista, encontra espaço aberto para criminalizar atuações políticas de setores e movimentos sociais de esquerda que se opõem as suas medidas destrutivas




Tópicos relacionados

Marília   /    UNESP   /    Repressão   /    PSOL

Comentários

Comentar