Política

SÃO PAULO

Depois de viralizarem denúncias, Doria tenta negar que aumentará passagens

sexta-feira 18 de novembro| Edição do dia

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), divulgou nota nesta sexta-feira, 18, reforçando a promessa de congelar a tarifa do transporte público em 2017. O jornal Folha de S.Paulo publicou que Doria estuda promover um reajuste "parcial" da tarifa da capital no primeiro ano de gestão, elevando o valor a R$ 4,40.

Essa notícia viralizou em redes sociais e em grupos de whatsapp, poucas horas depois tento conter o dano o empresário procurou o jornal concorrente, o Estado de São Paulo para negar tal aumento.

"O prefeito eleito João Doria esclarece que não está estudando aumento na tarifa de ônibus", diz nota encaminhada pela assessoria do prefeito eleito. O que existe, afirma o texto, é um "esforço" na busca de fontes de recursos de R$ 500 milhões necessários para cobrir os custos inflacionários no ano que vem e de R$ 750 milhões que terão de ser subsidiados com as gratuidades definidas na gestão do prefeito Fernando Haddad.

Detrás da desculpa de procura de recursos, está a confirmação de que deve aumentar a tarifa bem como retirar gratuidades como dos idosos. Sua negativa de aumentar a tarifa e "só procurar recursos" é parte de preparar o discurso de como realizará o aumento em nome de manter os gastos com a dívida pública, manter benefícios aos empresários e garantir os lucros dos empresários do transporte não "haveria alternativa" que não aumentar.

Como argumentou Diana Assunção em matéria "Os governos dizem que o problema é que a cidade não é rica, e que falta recurso pra outras áreas prioritárias. Mas a verdade é que muito dinheiro pro pagamento da dívida pública, que deveria ser suspenso imediatamente pra ser destinado à educação, saúde, moradia e transporte. Mas também porque a enorme desigualdade garante que alguns poucos vivam em mansões e possam se locomover com jatinho particular e helicóptero. Exigimos a taxação das grandes fortunas, e que esse dinheiro seja destino aos serviços públicos."




Tópicos relacionados

João Doria   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar