Política

MBL REIVINDICA GOVERNADOR PETISTA

Depois de defender colégios militares, governador baiano do PT é reivindicado pelo MBL

terça-feira 20 de março| Edição do dia

O governador do estado da Bahia, Rui Costa anunciou na última sexta-feira, dia 16, que quer ampliar o número de colégios militares nos municípios baianos, segundo o governador, as escolas comandadas pela Polícia Militar têm um desempenho melhor do que os outros colégios estaduais. Ao saber da notícia, o Movimento Brasil Livre da Bahia (MBL-BA), elogiou o governador, e ironizou sua postura dizendo que ele se aliaria ao movimento.

Rui Costa disse ainda, na última semana, que achava que o PT deveria “virar a página” em relação ao golpe institucional que tirou a presidenta Dilma do poder, o que gerou uma resposta de Gleisi Hoffmann, que disse que “discorda, mas respeita” as opiniões do governador. Guilherme Boulos, dirigente do MTST e pré-candidato a presidente pelo PSOL criticou a medida de militarização das escolas de Rui nas redes sociais: “Inaceitável! Governador petista da Bahia repete tucanos de Goiás e quer militarizar as escolas”.

Diante da intervenção militar no Rio de Janeiro implementada pelo golpista Temer, da condenação de Lula e de uma série de ataques que vêm definindo um aprofundamento do golpe institucional, o PT mostra sua incoerência ao não armar a população desde os sindicatos que dirige contra todas essas medidas e abarcar em seu partido um governador que quer reforçar a militarização, fazendo escolas comandadas pela polícia militar enquanto atesta a incompetência do seu governo em ministrar escolas públicas de qualidade.

Enquanto Marielle Franco, militante e vereadora do PSOL é executada por tomar a decisão de não se clara frente aos absurdos da intervenção militar no Rio, que vem para aprofundar ainda mais o genocídio da população preta e periférica, o PT cumpre um papel nefasto onde é governo e usa os sindicatos que comanda para incitar lutas apenas como “ameaças” para conseguirem fazer acordos por cima no parlamento. Nem mesmo com a retirada de Dilma do governo e a condenação de Lula o PT arma a população para a luta, isso porque este partido sempre governou para os de cima e tem mais medo da força que a mobilização traz aos trabalhadores do que qualquer medida que seus opositores à direita possam fazer no congresso.

No entanto, ainda é necessário fazer a exigência de que os sindicatos saiam do imobilismo, que a APEOESP some forças com os professores em greve do município de São Paulo, que se somem aos atos em repúdio à morte de Marielle e à luta pela retirada das tropas do Rio de janeiro ao invés de usar os estados em que governa para instalar escolas comandadas pela polícia mais assassina do país.




Tópicos relacionados

MBL   /    Bahia   /    Política

Comentários

Comentar