Sociedade

POLÍCIA ASSASSINA

Depois de confrontar policiais, pedreiro é assassinado no Amazonas

O pedreiro Jhonatas da Silva Horreda, 29, foi espancado até a morte na noite desse domingo, depois de participar de uma festa com carro de som na rodoviária de Manacapuru (cidade que fica a 69km de distância de Manaus).

segunda-feira 19 de março| Edição do dia

De acordo com os moradores a vítima foi espancada até a morte por policiais militares, que negam envolvimento no caso. Ele participava da festa juntamemte com diversos moradores da cidade, quando uma equipe de polícias militares do 9° Batalhão da Polícia Militar chegou no local. Jhonatas teria se jogado em cima do capô do carro da polícia e por esse motivo foi agredido até ficar inconsciente, quando foi colocado no camburão e levado para o hospital da cidade. Apesar da tentativa dos médicos em reanima-lo, o pedreiro acabou não resistindo aos ferimentos e faleceu.

A polícia alega que só percebeu que Jhonatas passava mal quando saiu da viatura para conter uma briga generalizada entre a vítima e outros participantes da festa. No boletim de ocorrência registrado pelo pai de Jhonatas, consta que o pedreiro foi deixado no hospital por uma viatura da polícia, após conter uma briga generalizada. A polícia nega qualquer informação a respeito das agressões. O corpo foi enviado para o IML de Manaus que cosntatou que o rapaz apresentava marcas de ferimento causadas por armas de fogo.

Na mesma semana em que o mundo inteiro se manifesta contra o brutal assassinato de Marielle Franco, esse caso é mais uma demonstração de como a polícia é uma instituição de caráter assassino que tenta esconder a todo custo seus crimes contra a população.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Violência Policial

Comentários

Comentar