Política

MAR DE LAMA

Depois de Cunha, STF quebra sigilo de Edison Lobão

Logo depois da decisão sobre o presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, agora o STF determinou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do senador Edison Lobão (PMDB-MA). O período investigado vai de 2011 a 2015, e também alcançará as empresas ligadas ao senador.

Edison Urbano

São Paulo

domingo 10 de janeiro de 2016| Edição do dia

O parlamentar é mais um investigado na Operação Lava Jato. Em depoimento sob acordo de delação premiada, o dono da UTC, Ricardo Pessoa afirmou que Lobão o teria orientado a pagar R$ 1 milhão, desviado das obras de Angra 3, ao empresário André Serwy. O empresário é filho de um ex-sócio de Lobão na empresa Arco S/A. Serwy também teve o sigilo quebrado pela mesma decisão.

Mais uma vez, mostra-se como o sistema político brasileiro funciona, na base da total promiscuidade entre a casta política e os grandes empresários, nesse caso, mais uma vez, um empreiteiro.

Enquanto os trabalhadores e a juventude sofrem com o aumento do custo de vida, as demissões e a piora das condições de trabalho, a burguesia brasileira juntamente com a casta política que serve a ela, se dão ao luxo de, dia após dia, escândalo após escândalo, escancarar a podridão do seu regime.

Depois, nas eleições, fazem propaganda demagógica e conseguem se perpetuar no poder. A única alternativa é que a classe trabalhadora, ao lado dos jovens que lutam pelo direito à educação e ao transporte, se mobilize para tomar a política em suas mãos, botando abaixo esse sistema político viciado. Uma nova Assembleia Constituinte, eleita sob regras realmente democráticas, poderia ser um caminho para o país sair do atoladeiro, apontando para outro tipo de sociedade, sem políticos parasitas nem empresários exploradores do trabalho alheio.




Tópicos relacionados

Operação Lava Jato   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar