#BLACKLIVESMATTER

Justiça para George Floyd: Demitir policiais assassinos não é suficiente

Os policiais que assassinaram George Floyd foram demitidos, mas isso não nem próximo de suficiente. Policiais assassinos devem ser presos e nós devemos nos organizar para derrubar o sistema racista que os criou.

sexta-feira 29 de maio| Edição do dia

Créditos da imagem: theguardian.com

Quatro policiais do Departamento de Polícia de Minneapolis assassinaram George Floyd na segunda-feira, enquanto uma multidão de espectadores gritava para que parassem. Em evidências de vídeo perturbadoras que se tornaram virais na terça-feira, policiais são vistos sufocando Floyd até a morte por 10 minutos, tudo enquanto brincam e zombam uns dos outros e da multidão reunida. A indignação pública foi imediata e explosiva. O Departamento de Polícia de Minneapolis respondeu demitindo os quatro policiais na terça-feira à tarde. Essa ação não foi suficiente, no entanto, para impedir que milhares de pessoas saíssem às ruas para combater a violência sancionada pelo Estado contra o povo negro.

A rápida demissão dos policiais assassinos foi uma atitude defensiva do departamento de polícia. Foi uma tentativa de apaziguar as massas furiosas - que acabou fracassando na medida que as pessoas saíram às ruas para exigir justiça a George Floyd. Essa demissão de policiais assassinos não chega nem perto de ser suficiente. Nós ecoamos o chamado da irmã de Floyd: prendam os policiais assassinos.

O fato de que o pior que acontece a esses policiais em Minneapolis - que assassinaram um homem em vídeo, com uma multidão de testemunhas, pedindo que parem - é perderem o emprego, é um exemplo claro da depravação do sistema atual.

De George Floyd a Breonna Taylor, Sean Reed, Ahmaund Arbery, Michael Brown e Trayvon Martin - vimos várias e várias vezes que pessoas de cor, principalmente homens negros, são submetidos a atos rotineiros de violência horrível, enquanto os autores nunca são responsabilizados.

Existem muitos exemplos de policiais e vigilantes assassinos saindo ilesos com o assassinato. George Zimmerman perseguiu Trayvon Martin, o assassinou, escapou da condenação e depois leiloou a arma que ele usou para matar Martin. Darren Wilson, o homem que assassinou Michael Brown em Ferguson, não cumpriu pena de prisão e recebeu um perfil incrivelmente simpático no New Yorker. Os policiais mataram Tamir Rice, uma criança, e nunca foram acusados. Há o policial que matou Philindo Castille em vídeo e ainda não foi considerado culpado. Policiais mataram Breonna Taylor enquanto ela dormia em sua cama e depois prenderam seu parceiro, Kenneth Walker, por se defender. Repetidamente, vimos que o chamado sistema de justiça criminal não oferece justiça para as vítimas de violência racista.

É obsceno pensar que milhões de pessoas cumpriram ou estão cumprindo sentenças de prisão por crimes relacionados a drogas, enquanto esses policiais assassinos ficam livres. Ainda existem pessoas negras e pardas na prisão por acusações de drogas em estados onde essas drogas agora foram legalizadas. Os negros são presos e encarcerados por ’resistir à prisão’ e ’perturbar a paz’, enquanto os policiais podem matar um homem em vídeo e apenas serem demitidos. O sistema prisional e a justiça criminal dos EUA aprisiona sistematicamente pessoas negras e pardas há décadas, enquanto deixa vigilantes brancos e policiais assassinos livres. O sistema é uma farsa usada para continuar a opressão de pessoas de cor em todo o país.

Nos raros casos em que alguma ação é tomada, como no caso de Minneapolis, quase sempre toma a forma de demitir os policiais específicos envolvidos ou, como está acontecendo em Louisville, uma investigação interna do que ocorreu. Ambas as táticas destinam-se a distrair as massas raivosas e fazê-las perder o interesse no caso. O Departamento de Polícia de Minneapolis espera que, ao demitir os quatro policiais que mataram Floyd, eles nos façam esquecer o que aconteceu. Alguns, como a congressista democrata Illhan Omar, estão pedindo uma investigação sobre o incidente pelas mãos do Departamento de Justiça. Mas o Departamento de Justiça provou em inúmeras ocasiões que eles são outro braço do sistema de injustiça que aterroriza as pessoas de cor em todo o país. Não podemos confiar no sistema de justiça criminal para investigar a si próprio.

Se é para esses policiais assassinos serem realmente presos por seus crimes, precisaremos de mobilizações em massa, tanto em Minneapolis quanto em todo o país, exigindo sua prisão. Essa é uma demanda mínima, mas também é sem precedentes que policiais sejam presos por assassinato.

As soluções reais para a violência policial não são tão simples quanto “arrancar as maçãs podres” ou prender alguns policiais. Os problemas são sistemáticos e estão ligados ao sistema inerentemente racista do capitalismo. Nesse sentido, para abolir a violência policial é necessário abolirmos a polícia, bem como esse sistema capitalista racista.

Os milhares que se arriscaram à repressão policial e à infecção por Covid-19 para se reunirem nas ruas de Minneapolis, na noite de terça-feira, devem ser exemplos para todos nós. Devemos nos unir e mobilizar para exigir justiça para Floyd e todas as outras vítimas de violência racista.

Originalmente publicado no Left Voice, seção estadunidense da Rede Internacional La Izquierda Diario.




Tópicos relacionados

Racismo   /    Racismo EUA   /    violência policial   /    [email protected]   /    Internacional

Comentários

Comentar