Educação

Demissões na Fundação Santo André: depoimento do Professor Ricardo Alvarez

Ricardo Alvarez, professor da Fundação Santo André, ex vereador da cidade e militante do PSOL, publicou depoimento em seu facebook sobre as demissões na FSA, inclusive a sua própria.

domingo 23 de dezembro de 2018| Edição do dia

Ricardo Alvarez, professor da Fundação Santo André, ex vereador da cidade e militante do PSOL, publicou depoimento em seu facebook sobre as demissões na FSA, inclusive a sua própria.

Veja a declaração a baixo:

Nesta sexta (22/12) fui desligado da FSA após 26 anos

(como foi publicado hoje na capa do DGABC e tem muita gente me ligando e perguntando, respondo aqui)

1 - Uma denúncia chega ao MP de Santo André de que o Reitor da FSA, Francisco Milreu, entrou na instituição no final dos anos 80 sem concurso público;

2 - O Reitor assume no jornal DGABC que entrou mesmo sem concurso;

3 - Internamente ele indica o vice-Reitor, Rodrigo Cutri, para que monte sindicâncias internas para apurar os eventuais contratos irregulares, já que ele próprio não poderia fazê-lo, pois também seria investigado;

4 - A comissão pede para que os professores apresentem documentos sobre suas contratações. Cerca de 70 pessoas estavam nestas condições. Estranho, pois quem deve ter a guarda deles é a instituição e se nem eles tinham o que dirá nós depois de 25 ou 30 anos?

5 - A primeira dúvida sobre a lisura da Comissão se instalou: o presidente da sindicância é o Pró-Reitor de administração, cargo esse indicado político do Reitor;

6 - Ao final dos trabalhos ocorre um fato inusitado: embora os professores estejam recebendo seus salários de forma parcial há um bom tempo, a Reitoria estava recebendo integral, mesmo sendo os maiores salários da instituição. Para efeito de ilustração o Reitor ganha com o um vereador, sem ter as mesmas responsabilidades.

7 - Logo em seguida da publicação da notícia, internamente houve uma avalanche de críticas nos grupos de zap. Horas depois o Reitor, cinicamente, publica que eles passarão a receber os salários nas regras dos professores. Vergonhoso;

8 - A Reitoria publica então uma lista com 7 demitidos como resultado das sindicâncias. Eu era um deles. E fui eu também que coloquei nos grupos o caso da vergonha dos salários integrais. A demissão era então política;

9 - Após uma pressão interna em relação aos 7 demitidos, no dia seguinte a Reitoria, fraca e covarde, recuou. Disse que enviaria os resultados ao Ministério Público do Trabalho para providências em janeiro, após o fim do recesso;

10 - Os professores continuavam em Assembléia, cobrando uma posição sobre os pagamentos dos salários e outros direitos. Decidiram por greve, uma vez que a falta de transparência na gestão e o pagamento de salários integrais para a Reitoria criavam uma nuvem sobre a real situação;

11 - Eis que nesta sexta, 21/12, não cumprindo com a palavra assumida, promove o desligamento de 35 professores com a desculpa esfarrapada de contratação irregular. Eu fiz concurso público e muitos outros fizeram;

12 - Dos 35 desligados o Reitor não está na lista. Muito curioso;

13 - Nós não fomos demitidos, mas sim desligados. A Reitoria aponta que não fará o pagamento nem das verbas rescisórias.

14 - Os desligamentos servem a dois propósitos: reduzir custos e colocar para fora professores que defendem a democracia interna e a condição pública da FSA;

15 - A saída da crise da FSA passa por: renúncia da atual Reitoria, abertura pública das contas, uma gestão transitória de crise que envolva professores, funcionários, estudantes e sociedade e a apresentação de um plano de recuperação de curto, médio e longo prazo;

O que a FSA não precisa? De ditadores e moleques travestidos de gestores.

#FORAMILREU
#FORACUTRI

Acompanhe no Esquerda Diário o conflito da Fundação Santo André:

Professores da Fundação Santo André iniciam greve por tempo indeterminado

ESCÂNDALO: Reitor da Fundação Santo André faz faz chacota com demissão de 35 professores.




Tópicos relacionados

#FSA   /    Educação   /    ABC paulista

Comentários

Comentar