ATAQUES ÀS FUNDAÇÕES NO RS

Demissões da Fundação Piratini feitas por Sartori são barradas por liminar da justiça

sexta-feira 20 de outubro| Edição do dia

Manifestação contra demissões na Fundação Piratini (Foto: Reprodução)

Nessa quinta-feira, 19, o governo começou a notificar os funcionários da Fundação Piratini de suas demissões, cumprindo o plano de Sartori de fechar seis fundações públicas do RS.

Contudo, nessa sexta-feira, 20, o juiz João Batista Sieczkowski Martins Vianna, da 18ª Vara do Trabalho de Porto Alegre concedeu uma liminar suspendendo as demissões. Em caso de descumprimento, a Fundação será multada em R$ 100 mil.

A decisão expressa a força das greves que estão ocorrendo contra os ataques de Sartori. No entanto, é fundamental saber que uma liminar pode ser revertida a qualquer momento, colocando novamente as demissões dos trabalhadores. Além disso, outras cinco fundações estão sendo atacadas e extintas pelo governo.

Não podemos confiar que as decisões da justiça serão o caminho para impedir esses ataques, mas apenas a força dos próprios trabalhadores organizados de forma independente. Por isso, é necessário expandir e consolidar a greve contra Sartori, unificando com a greve dos municipários de Marchezan, para barrar todos os ataques.

Veja também: Servidores convocam ato durante julgamento do TCE sobre extinção das fundações do RS

Sartori destrói empregos e pesquisas, demitindo e decretando fim das fundações

A unificação das lutas no RS e a necessidade de uma greve geral




Tópicos relacionados

Greve Municipários Poa   /    RS   /    Marchezan   /    Rio Grande do Sul   /    Sartori   /    Greve Professores RS   /    Greve   /    Crise gaúcha

Comentários

Comentar