DELAÇÕES CUNHA E FUNARO

Delações de Cunha e Funaro contra Temer tem “forte materialidade”, diz Janot

Em uma conversa com a bancada do PSOL, Janot indica que uma segunda denúncia contra Temer por obstrução da Justiça já tem “forte materialidade” pelos relatos feitos por Cunha e Funaro.

Cássia Silva

estudante de Ciências Sociais na Unicamp e militante da Faísca

quarta-feira 12 de julho| Edição do dia

Nas delações acordadas no caso de Joesley Batista feitas por Eduardo Cunha e o doleiro Lúcio Funaro, eles reforçam a posição do dono da JBS, o que dá mais fôlego para uma segunda denúncia de Rodrigo Janot, procurador-geral da República, contra o presidente golpista Michel Temer.

Em uma conversa com a bancada do PSOL, Janot indica que uma segunda denúncia contra Temer por obstrução da Justiça já tem “forte materialidade” pelos relatos feitos por Cunha e Funaro. Essa conversa dos parlamentares do PSOL aconteceu pela presença dos mesmos no gabinete de Janot, eles foram demonstrar apoio ao trabalho realizado por ele.

Por um lado, há o escancaramento da inegável participação do presidente golpista com os esquemas de corrupção, mantenedor do sistema capitalista e que põe em xeque o já impopular governo Temer. De fato, ele deve cair pelas nossas mãos, dos trabalhadores e da juventude, com mobilização inspirada, maior e mais forte do que a do dia 28 de abril, com uma greve que parem a produção e façam um rombo no bolso dos empresários, que, obviamente, estão com os golpistas. Vamos acabar com as reformas já impostas pelo governo Temer, como a aprovação da Reforma Trabalhista, em que os senadores terminaram de assinar o fim de direitos seculares conquistados por condições de trabalho mais decentes, e impedir a passagem da Reforma da Previdência.

Essa luta é nossa, o que nos leva ao outro lado, para a absurda confiança de um partido de esquerda, o PSOL, na Justiça burguesa ao se solidarizar com o trabalho feito por Janot, a mesma que seleciona a dedo as grandes caras da política brasileira para investigação e a mesma que aprisiona Rafael Braga por porte de pinho sol numa manifestação de Junho de 2013. Não devemos de forma alguma confiar em meios controlados pelos golpistas e os empresários para que Temer caia e as reformas acabem. A conversa solidária entre os parlamentares do PSOL e Janot demonstram um depósito de força para quem está aprisionando a juventude negra e administrando a crise política que vivemos para que esse sistema de exploração seja salvo.

Por isso, é bastante forte a convicção de que devemos tomar a luta nas nossas mãos para passar por cima desse Judiciário golpista e não nos adaptar à passividade das centrais sindicais e estudantis que não demonstram vontade de barrar a retirada de nossos direitos e nem de derrubar o Temer, como a fraca participação da CUT, da CTB e da UNE na mobilização do dia 30 de Junho, mas também de impor às centrais sindicais que apoiaram o golpe, como a Força Sindical e a UGT, que organizam milhares de trabalhadores, a lutar contra a arrancada de nossas conquistas.

As pautas são do conjunto da classe trabalhadora e do conjunto da juventude, Temer e sua corja retiraram 20 anos de saúde e educação, acabaram com o Ensino Médio, aprovaram terceirização irrestrita e a retirada das nossas conquistas. Para que isso acabe, que não passe a Reforma da Previdência e que derrubemos Temer, é extremamente necessário que façamos reuniões em assembleias e comitês em cada local de estudo para traçar um plano de luta conjunto e imponhamos que quem tome as decisões nesse país, sejamos nós! Nenhuma confiança na Justiça comparça dos golpistas!




Tópicos relacionados

Michel Temer   /    Eduardo Cunha

Comentários

Comentar