ARGENTINA

De joelhos ao mercado, Macri pede adiantamento de US$ 3 bi ao FMI para o pagamento da dívida

quarta-feira 29 de agosto| Edição do dia

Com a alta recente do dólar no país, fruto da desconfiança dos especuladores em relação a capacidade do governo argentino de pagar a dívida pública para o próximo período, a solução do presidente da Argentina, Mauricio Macri, foi solicitar a liberação ao Fundo Monetário Internacional (FMI) de US$ 3 bilhões adicionais. A informação é do ministro da Fazenda, Nicolás Dujovne.

Com o acordo, que deve durar quatro anos e vai até junho de 2020, serão liberados US$ 50 bilhões. Há dois meses, o FMI repassou US$ 15 bilhões ao país.

Mais uma mostra do danoso retorno do FMI ao país e da política de submissão de Macri a instituição e às chantagens do mercado financeiro que em nome da manutenção do saque de recursos da dívida pública estão dispostos a tudo.




Comentários

Comentar