Política

ELEIÇÕES 2018

De forma demagógica, Marina diz que vai mudar "pontos draconianos" da reforma trabalhista

Ontem (31) em entrevista ao programa Central das Eleições, da Globo News, a pré-candidata da Rede Marina Silva, elegeu pontos absurdos da reforma trabalhista que disse que irá corrigir, enquanto preservará o caráter central da reforma, desfavorecer os trabalhadores nas negociações frente aos patrões.

quarta-feira 1º de agosto| Edição do dia

A pré-candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, disse, em entrevista ao programa Central das Eleições, da GloboNews, que não vai revogar a reforma trabalhista, mas vai corrigir "pontos draconianos" da legislação.

O posicionamento da pré-candidata deixou claro que ao invés de rechaçar por inteiro uma reforma que tem em sua íntegra o intuito de desfavorecer os trabalhadores frente os patrões, ela elege, de forma demagógica, questões pontuais absurdas para acenar a esquerda. Tais pontos na opinião de Marina seriam a exposição de grávidas e lactantes a ambientes insalubres em caso de ausência de laudo médico e o ponto que diz que os custos de uma ação trabalhista serão pagos por quem perder o processo.

Para a pré-candidata o ponto central da reforma de estabelecer o negociado, os acordos coletivos, acima do legislado, as leis definidas pela CLT, o que relativiza todos os direitos trabalhistas assegurados, não está entre os "pontos draconianos".

Já sobre a reforma da Previdência, Marina, como de seu costume, evitou se posicionar de forma contundente ao tema. Ela foi instada a falar sobre a idade mínima, mas disse apenas que propõe o debate sobre o assunto. "A minha opinião é de que devemos fazer o debate. Em relação à idade dos homens e mulheres, quero debater com os especialistas." Ela completou que os privilégios da aposentadoria dos militares têm de ser encarados.

Diferentemente da pré-candidata que mascara seus posicionamentos, deixando sempre em aberto para o debate, sua equipe econômica que conta com o economista Eduardo Gianneti, já declarou que a Reforma da previdência é prioridade e reivindicou o programa econômico de Temer "Ponte para o Futuro". Mostrando como apesar dos acenos, de sua disposição em debater "pontos draconianos" da reforma trabalhista, ou deixar em aberto a idade mínima da reforma da Previdência, o eixo de sua campanha é mesmo dar continuidade na agenda de ataques aos trabalhadores.

Leia mais: Economista de Marina Silva elogia Temer e diz que Reforma da Previdência é prioridade




Tópicos relacionados

Eleições 2018   /    Marina Silva   /    Política

Comentários

Comentar