Educação

ATRIBUIÇÃO DE AULAS

DENÚNCIA – Seguem as denúncias de professores sobre a atribuição de aulas em São Paulo

Nos últimos dias, o Esquerda Diário tem publicado uma série de denúncias de professores da rede pública do Estado de São Paulo, sobre as atribuições de aula e o caos na educação. Publicamos o relato de Thamires Pereira, professora efetiva de língua portuguesa em Mauá, na grande São Paulo.

quarta-feira 8 de fevereiro de 2017| Edição do dia

“Vou contar sobre a atribuição por aqui, acredito que não seja muito diferente da realidade de outros colegas de profissão, fiquei 12 horas na escola estadual Visconde de Mauá, onde ocorria a atribuição. Nas primeiras horas da manhã, entre 8h e 12h foi a constituição da jornada para semi-adidos e totalmente adidos, minha situação até então. Logo a tarde iniciou-se a atribuição da carga suplementar. Saí do local com 32 aulas, sendo 30 atribuídas no período da tarde e em duas escolas, ou seja, não haveria como montar um horário que me atendesse, pois eu necessitava de aulas vagas para o descolamento entre as UEs. Percebendo isso, apenas no dia seguinte, devido ao cansaço, nem eu e nem a banca de atribuição notamos o enlace, ficando a única solução abrir mão da carga suplementar, restando apenas o meu cargo reduzido. Hoje descobri que outros professores estão na mesma situação perderam a carga suplementar por não haver acumulo de horário, a banca atribuiu mais aulas que o período oferece. Talvez seja interessante falar no jornal não só como desabafo pessoal, mas sobre essa situação que ocorreu com diversos professores.”

Mande seu relato para o Esquerda Diário e impulsione a campanha: “Basta de caos e desemprego na educação! Pela reabertura das salas fechadas”.




Tópicos relacionados

Educação   /    Professores   /    ABC paulista   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar