UNICAMP

DCE Unicamp repudia demissão de terceirizado que falou em assembleia

Reproduzimos abaixo nota ddo DCE Unicamo sobre demissão política de terceirizado cipeiro, Sidney Alex Silva, da Funcamp, que fez uma fala em assembleia contra a demissão de 330 trabalhadores terceirizados da Unicamp. Confira a nota abaixo.

sábado 19 de outubro| Edição do dia

NOTA DE REPÚDIO DO DCE UNICAMP: PELA REINTEGRAÇÃO IMEDIATA DE SIDNEY! CONTRA A DEMISSÃO DAS 330 TRABALHADORAS TERCEIRIZADAS DA UNICAMP!

No dia 18 de outubro de 2019, Sidney da Silva, trabalhador terceirizado da Fundação de Desenvolvimento da Unicamp (FUNCAMP) que na última Assembléia Extraordinária do dia 15 de outubro denunciou a demissão de mais de 300 trabalhadoras/es terceirizadas/os do setor de alimentação, foi DEMITIDO por JUSTA CAUSA. Em sua rescisão de contrato, é dito que a justa causa se aplica por falta grave, sendo justificado: "Ato de incontinência de conduta ou mau procedimento e ato de INDISCIPLINA ou de INSUBORDINAÇÃO".

A assembléia, que foi histórica (mais de 8 mil pessoas reunidas) e não acontecia desde o período militar, tinha como objetivo a defesa da universidade pública e da autonomia universitária. No entanto, o espaço foi limitado a representantes de entidades, com uma inscrição sorteada por categoria. A única categoria que não foi liberada de suas atividades para a participação na assembléia foram os trabalhadores terceirizados.

Dessas inscrições, Sidney foi sorteado e fez uma fala incisiva, expondo a precarização do trabalho e do/a trabalhador/a terceirizado/a e evidenciando como a defesa da universidade também perpassa a defesa das/os trabalhadoras/es que a fazem funcionar. A demissão de 330 trabalhadoras e trabalhadores da nutrição, em um contexto onde o desemprego só cresce, significa, na prática, colocar na rua 330 famílias.

Três dias após essa denúncia, recebemos o informe de que Sidney foi demitido de seu posto de trabalho, onde inclusive era cipeiro*. Sua demissão por suposta justa causa significa uma total perseguição política da FUNCAMP e completa hipocrisia entre defender a universidade pública mas punir quem a defende.

Nós, estudantes da Unicamp repudiamos o ocorrido e prestamos total solidariedade à Sidney e sua família. A prática adotada pela Fundação deve ser rechaçada e exigimos sua reintegração! Exigimos também imediato posicionamento da Unicamp sobre a demissão de Sidney, pois entendemos que a Universidade não pode se eximir de suas responsabilidades diante o contrato com a empresa terceirizada, a Funcamp. Seguiremos mobilizados e chamamos a construção de um plano de lutas em defesa do emprego, contra a perseguição das e dos lutadores que defendem a universidade pública e pela reintegração imediata de Sidney!

Nenhuma família na rua! Se a Unicamp demitir a gente luta! Pela reintegração imediata de Sidney!

*cipeiro: trabalhador membro da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), eleito pelos trabalhadores para fiscalizar suas condições de saúde e segurança no trabalho.




Tópicos relacionados

Unicamp   /    Terceirização   /    Campinas

Comentários

Comentar