Política

RIO DE JANEIRO

Cunha roubou CEDAE diz MP, seus amigos Temer e Pezão querem privatizá-la

Uma mão tira, a outra também. A parceria Cunha-Pezão-Temer para destruição da CEDAE. Enquanto Cunha é acuso de fraudes e roubos, o governador e o presidente preparam a privatização da empresa.

sexta-feira 28 de julho| Edição do dia

O Ministério Público Estadual (MPE) fluminense entrou com ação ontem contra o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), o doleiro Lúcio Bolonha Funaro e outras dez pessoas acusadas de fraudes na Previdência Complementar dos Funcionários da Cedae (Prece). Enquanto Cunha é acusado de roubar a previdência da empresa, seus amigos Pezão e Temer avançam em sua privatização. Hoje haverá novo momento da destruição da empresa estatal de águas e os trabalhadores convocam manifestação contra a privatização.

De acordo com o MP, o esquema, gerou um rombo de R$ 39 milhões aos fundos dos funcionários.

O BNDES junto com o governador do Rio Luiz Fernando Pezão e o governo federal marcaram para esta sexta (28) uma nova reunião para avançar na privatização da companhia. A proposta de adquisição da Cedae está sendo organizada entre o BNDES, o Ministério da Fazenda e o governo do estado do Rio. Na terça-feira (18) a proposta foi apresentada para o golpista Temer que aprovou a proposta feita pelo presidente do BNDES, Paulo Rabello.

A venda da Cedae é um dos pontos do plano de recuperação fiscal negociado pelo governo fluminense com a União, plano que é parte do processo de entrega dos serviços públicos para iniciativa privada para transformá-los em maquinas de lucro dos empresários e banqueiros. Uma chantagem criminosa do governo golpista e de Pezão que coloca em contraposição o futuro da CEDAE e dos seus trabalhadores com o pagamento dos salários dos servidores.

O "pacote de maldades" do Rio de Janeiro é um modelo que Temer está começando a adotar para todo país, seja com a PEC 55, seja com as novas medidas de ataque ao funcionalismo público.




Tópicos relacionados

Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar