Política

CORONAVÍRUS

Crivella veta aumento a auxílio emergencial no Rio

Enquanto reclama que população não "respeita" o isolamento, Crivella veta projeto chamado de Renda Básica Carioca, que aumentaria auxílio emergencial.

sexta-feira 15 de maio| Edição do dia

A hipocrisia de Crivella durante a pandemia não tem limites. Indo praticamente diariamente na mídia reclamar que a população não está respeitando o isolamento mas não garante nem mesmo o mínimo para a população.

Há um mês atrás, a câmara aprovava o PL conhecido como Renda Básica Carioca. Esse PL ampliava o programa Cartão Família Carioca, que atualmente concede benefício de 108 reais a todos as famílias residentes na capital cadastradas no programa Bolsa Família. Com as mudanças o projeto abarcaria também os habilitados para receber o auxílio emergencial e complementaria o valor para 1045 reais, 1 salário mínimo. Um valor que ainda está longe de ser suficiente para sustentar uma família com dignidade, abaixo inclusive do piso regional dos salário no estado.

Após o projeto ter sido aprovado na câmara, em 14 de abril, foi para a mão de Crivella. No entanto o prefeito que se apressava para culpar a população pelo aumento dos casos, não mostrou a mesma pressa para aprovar o projeto. Inclusive, após um mês, vetou o projeto, mostrando toda sua hipocrisia não garantindo nem sequer um salário mínimo para os trabalhadores informais e autônomos que perderam sua renda durante a pandemia. Alega que isso comprometeria a situação fiscal do município, mesmo que o Governo Federal tenha liberado "socorro" aos estados e municípios, evidenciando como esse socorro tem como principal destino os empresários!

Ver também: De quem é a culpa pelo aumento de casos?

Isso é só mais uma prova que não podemos confiar nos governadores e prefeitos no combate à pandemia. É necessário urgentemente que os trabalhadores e as maiorias populares se mobilizem pra exigir garantias para uma quarentena com dignidade, como proibição das demissões e do rebaixamento de salário, além de um auxílio emergencial de 2000 reais a informais e autônomos, junto a disponibilização de hotéis! Também é necessário exigir testes massivos para que os doentes possam se isolar o mais rápido possível, reduzindo seu potencial de contaminação e garantindo que possam receber o tratamento adequado o quanto antes!




Tópicos relacionados

Auxílio emergencial   /    Coronavírus   /    Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar