RIO DE JANEIRO

Crivella segue atacando trabalhadores e não irá pagar parcela do 13º salário dos servidores

Crivella anuncia que não irá pagar segunda parcela do 13º salários dos servidores do município do Rio de Janeiro. Enquanto isso, segue avançando com o desmonte dos serviços públicos, deixando trabalhadores da saúde há meses sem trabalho.

terça-feira 17 de dezembro de 2019| Edição do dia

A prefeitura do Rio de Janeiro não irá pagar a segunda parcela do 13º salário dos servidores municipais. A informação foi confirmada à TV Globo pelo secretário de Fazenda do Município do Rio de Janeiro, César Barbiero.

Segundo o secretário, a medida é "pontual e temporária" :"Hoje não pagarei, por conta da resolução. Entretanto, trabalhadores municipais da saúde no Rio de Janeiro protagonizaram a pouco uma importante luta contra Marcelo Crivella. Diversos trabalhadores estão sem salários há dois meses e denunciam as péssimas condições de trabalho impostas pelas Organizações Sociais de Saúde (OSS), empresas terceirizadas pela prefeitura que gerem partes do sistema de saúde no Rio.

Veja também: Sem salários há 2 meses, trabalhadores da saúde decidem paralisar por 48h e fazem ato de rua no Rio

Todos os pagamentos e outras movimentações financeiras foram suspendidas pela prefeitura até segunda ordem. A resolução pela qual se pauta Crivella e sua gestão será publicada no Diário Oficial do Município.

A situação econômica do Rio de Janeiro mostra quão profunda é a crise capitalista que avança pelo país, atingindo em cheio o Estado. O primeiro setor a se colocar nas ruas contra Crivella foram os trabalhadores da saúde. Enquanto o prefeito afirma não ter verba para arcar com o salários e com as parcelas do 13º salário dos trabalhadores cariocas, anuncia a liberação de R$ 36 milhões para os Hospitais Albert Schweitzer e Pedro II.

Veja também: Crivella foge da justiça e trabalhadores da saúde podem virar o ano sem receber salário

Enquanto isso, segue atacando e destruindo os serviços públicos e abrindo cada dia mais espaço para as empresas privadas, ostentando gastos em publicidade e propaganda feito pela prefeitura nos últimos dois anos - gastos, aliás, usados para melhora a imagem de Crivella depois de tantos vacilos com os serviços públicos municipais.

É necessário colocar a força dos trabalhadores e da juventude, que morre nas mãos da polícia assassina e da política de Witzel e Crivella, para fazer com que sejam os capitalistas que paguem pela crise.

Informações de O Globo




Tópicos relacionados

Servidores Públicos   /    Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar