Política

RIO DE JANEIRO

Crivella não paga servidores, corta vale-natal e tira férias de final de ano nos EUA

Enquanto os salários dos servidores estão atrasados e as datas de pagamento são mudadas por Crivella, ele curte férias em Orlando.

terça-feira 19 de dezembro de 2017| Edição do dia

O prefeito Marcelo Crivella vai passar o Natal fora do Rio em um compromisso particular. A informação foi divulgada pelo próprio prefeito em um vídeo divulgado em suas redes sociais, onde comenta a viagem ao lado de sua mãe e do presidente da Comlurb, Rubens Teixeira.

Crivella viajou neste domingo (17) para Orlando, nos Estados Unidos, para a casa de sua filha e retorna ao Rio no dia 27, porém antes de sair de "folga", o prefeito decidiu alterar o calendário de pagamentos dos servidores do município. Ficando acertado que os salários relativos ao mês de dezembro só serão pagos no sétimo dia útil de janeiro (10), enquanto que os vencimentos de janeiro a junho passarão a ser depositados no quinto dia útil de cada mês.

Além disso, Crivella decidiu que apenas os funcionários da Comlurb receberão um vale compras (um "bônus" de Natal) e também serão os únicos a receber o 14º salário, que em geral era pago a todos os servidores em junho, com base em um plano de metas fixado para o funcionalismo. Na Comlurb, o pagamento deverá ser efetuado em duas parcelas, a primeira até o dia 31 e o restante somente em fevereiro. Para os demais funcionários do município, não há nem prazo para receberam o mesmo benefício.

Segundo funcionários do município, essa decisão de pagar o 14º salário somente para os servidores da Comlurb teria sido tomada sem que os órgãos técnicos fossem consultados, como uma manobra para evitar uma possível greve, uma forma de desmobilização de garis que já estavam se organizando para paralizarem na virada do ano. Diversos funcionários de organizações sociais do municipio já haviam entrado em greve devido ao atraso dos salários. Não é de hoje que o municipio vem atrasando inúmeros repasses, como o pagamento do aluguel social para 1,8 mil famílias carentes que ganham absurdos R$ 400 mensais.

Para a prefeitura, essa decisão de mudança no calendário do pagamento tem o objetivo de gerar fluxo de caixa já que os funcionários serão pagos após a data limite para prestadores de serviços recolherem o ISS (terceiro dia útil do mês). Durante todo o ano, já tinham sido adotadas várias medidas que atacavam diretamente a classe trabalhadora. Em 2017, os servidores não tiveram reajuste salarial para corrigir a inflação e muitas de suas gratificações e benefícios foram cortados. Nesta segunda-feira (18), o Sindicato dos Servidores Públicos do Município entrou na Justiça numa tentativa de obter uma liminar que garanta o reajuste.

O município está próximo de ultrapassar o limite de gastos com pessoal, o que pode ocasionar em medidas de cortes de gastos, o que resultará em ainda mais ataques aos trabalhadores. E o prefeito Crivella de folga em Orlando, mostrando seu real interesse e compromisso com o funcionarismo municipal.




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar