Política

CORONAVÍRUS

Crivella garante abertura de igrejas em meio ao pico de contágio do coronavírus

Num cenário onde o Rio de Janeiro é o segundo estado brasileiro em número de atingidos pelo coronavírus, Crivella, em decisão tomada após reunião com o conselho científico, diz que temporariamente não irá flexibilizar o isolamento social mas, contraditoriamente, garante em decreto medidas para funcionamento de templos religiosos que deve ser publicado no Diário Oficial.

segunda-feira 25 de maio| Edição do dia

O texto ainda cita um decreto federal de Bolsonaro que incluiu os templos religiosos como atividades essenciais e que ainda afirma que a Prefeitura do Rio "em nenhum momento" determinou fechamento ou restrição desta atividade. Como se não bastasse todo esse absurdo Crivella, que parece alheio a realidade, mas que segue com a sua prioridade no compromisso de atender aos interesses dos patrões, ainda declarou que “nós hoje dominamos a pandemia. Nós não entramos no caos. Tínhamos uma preocupação enorme de uma explosão de casos na cidade. Graças aos equipamentos que vieram, não tivemos isso”. A cara de pau não tem limites, destila o descaso com as vidas e com as famílias que estão enterrando os seus.

Não esqueçamos também que atrasar salários parece ser a regra da prefeitura. Mesmo durante a pandemia, Crivella atrasou os salários dos trabalhadores da saúde, sem contar os trabalhadores terceirizados, como os porteiros de clínica da família da empresa RJ SERV, que até agora estão sem receber, enquanto alega falta de dinheiro, mas segue mantendo isenções a empresas e as Igrejas.

Em meio ao período de pico de transmissão do vírus e do número de mortos, Crivella garante abertura das igrejas, faz acordos com empresários para reabertura do comércio e serviços, só confirmando que, para esses setores, os seus lucros estão acima de tudo, inclusive das vidas das trabalhadoras e dos trabalhadores que, com a reabertura, colocarão em risco a si e suas famílias. Concomitantemente, Witzel faz vítimas todos os dias através de sua polícia sanguinária, agudizando o caos e as tragédias para os negros das comunidades e morros cariocas que estão encurralados pela letalidade do vírus nas favelas, fruto das condições precárias de vida, e pela letalidade da polícia carioca que não dá trégua mesmo nesse contexto.

É um escárnio com a população. Por isso, nós do Esquerda Diário dizemos: nossas vidas valem mais que o lucro deles!




Tópicos relacionados

Marcelo Crivella   /    Rio de Janeiro   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar